Estadão

Apresentado, Bauermann vê chance de dar a volta por cima no Santos

Apresentado oficialmente pelo Santos nesta quinta-feira, o zagueiro Eduardo Bauermann afirmou que jogar no time da Vila Belmiro é uma chance de "dar a volta por cima" em sua carreira. O jogador de 25 anos enfrentou dificuldades numa transferência frustrada para a Europa em 2019 e acabou perdendo uma chance importante.

"Voltar a vestir uma camisa de um peso tão grande, que representa muito para nós, atletas. Ainda mais a camiseta do Santos que, na minha vida, tem um peso muito grande. Estou dando a volta por cima na minha carreira, na qual eu patinei em alguns lugares e agora estou aqui recebendo essa oportunidade", afirmou o jogador, que assinou contrato até dezembro de 2024.

O defensor tinha pré-contrato assinado com o Santos desde o ano passado, quando o executivo de futebol do clube ainda era André Mazzuco, substituído por Edu Dracena na reta final do Brasileirão. "Não tem como dizer não ao Santos. Fiquei muito feliz quando recebi o primeiro convite, nas conversas ainda com o André Mazzuco. Eu me senti na obrigação de aceitar esse desafio porque era isso que eu estava buscando na minha carreira."

Antes de chegar ao América-MG, de onde saiu para defender o Santos, Bauermann teve problemas no Paraná em 2019. Em agosto daquele ano, ele quase se transferiu para o futebol belga, para defender o Sint-Truidense. O acerto entre os clubes estava definido, mas jogador e Paraná não chegaram a um acordo sobre o pagamento. O zagueiro não entrou em campo na reta final daquela temporada.

"Nossa profissão é feita de altos e baixos. Antes de chegar ao América-MG, eu não estava num momento muito bom até porque no final de 2019 eu terminei o ano não jogando. Eu considero esse um ponto baixo na minha carreira. Mas entendo que isso fazia parte do plano para estar aqui hoje. Consegui me preparar para que em 2020 eu começasse o ano bem, desse sequência em 2021 e agora, em 2022, tivesse essa oportunidade. Por isso considero uma volta por cima."

No Santos, o reforço deve ser um dos titulares do trio de zagueiros formado pelo técnico Fábio Carille. O novo jogador admite que nunca atuou nesta formação, num esquema tático 3-5-2, mas se colocou à disposição para se adaptar, atuando tanto pela direita quanto pela esquerda.

"Não tinha muito costume de jogar com três zagueiros, mas jogamos algumas vezes no ano passado e deu certo. Carille sabe muito bem nos explicar e dar atalhos. Marcávamos individual no América e nesse ano é diferente, mas tem sido tranquilo. Carille dá todas as dicas. E lá eu jogava mais pelo lado esquerdo, mas também joguei pelo direito. Tenho costume de anos pela esquerda mesmo destro, então a minha preferência é pela esquerda, mas jogo na direita sem problema nenhum", declarou o zagueiro, que já vinha treinando com o Santos nos últimos dias.