Cidades

Ato de artistas reúne 12 pessoas para pressionar prefeito a liberar mais de R$ 200 mil para peça

O que deveria ser um grande ato de artistas da cidade contra a Secretaria Municipal de Cultura, conforme convocação feita nos últimos dias, reuniu no final da tarde desta quinta-feira, em frente à Secretaria de Educação de Guarulhos, 12 pessoas. Em cima de um caminhão e ao som de músicas sacras, os líderes do movimento gritavam pedindo para entregar um documento ao prefeito Guti.

Os 12 manifestantes protestaram contra o fato do Governo não liberar cerca de R$ 200 mil dos cofres públicos para que eles pudessem encenar a “Paixão de Cristo” na cidade, como fizeram de 2007 a 2018. Em carta aberta, diziam que não poderiam realizar a encenação porque a Prefeitura não liberou os recursos necessários para os artistas se apresentarem. No caminhão de som, ao não serem recebidos, chegaram a gritar palavras de baixo calão. “P….! nós queremos ser recebidos!”, esbravejou um dos líderes por mais de uma vez.

A Prefeitura de Guarulhos informou que a decisão de cancelamento do evento não foi tomada pela municipalidade. Os organizadores do evento foram recebidos pela Secretaria de Cultura, ocasião em que argumentaram em favor da Paixão de Cristo, espetáculo que integra diferentes linguagens artísticas e sua importância para os aspectos culturais da cidade.

Ao grupo, a Secretaria de Cultura solicitou projeto com descrição do evento, documento que fora entregue e protocolado em 25 de fevereiro. Junto ao projeto, os organizadores entregaram ainda planilha de custo detalhada e infraestrutura completa, na qual foi informada a necessidade de equipamentos, tais como microfones, amplificadores, pedestais, ventiladores, sistema de som e iluminação, entre outros, cuja contratação ultrapassaria R$ 200 mil. Além disso, o projeto informava ainda a necessidade de R$ 46.600,00 para gastos imediatos com transporte, alimentação, costureiras, entre outros.

Segundo a nota da Prefeitura, tais valores não representam forma equânime de fomento à Cultura. “Se tomarmos como base o Fundo Municipal de Cultura, o Funcultura, por exemplo, é possível observar a democratização de recursos destinados, democraticamente, à produção cultural e artística de Guarulhos, por meio de editais”.

1 Comentário

Clique aqui para comentar