Carro GWeb TV

AVALIAÇÃO – Caoa Chery Tiggo 5X PRO evolui e se torna ainda mais interessante

Ernesto Zanon – Do Carro Express / Edição de Imagens: Danilo Sanches

Não é à toa que a Caoa Chery vem ganhando bastante espaço no mercado, principalmente dos SUVs. De pouco adiantaria uma campanha ostensiva de marketing na grande mídia se ela não oferecesse produtos que correspondam à expectativa gerada nos consumidores. É assim o Tiggo 5X PRO, avaliado pelo Carro Express durante uma semana, que tem o posto de carro mais vendido da marca no Brasil.


O SUV médio tem concorrentes de peso no mercado, como Jeep Renegade, VW T-Cross, Hyundai Creta, entre outros. Mas ele evoluiu na versão 2022, com um novo visual, principalmente na dianteira, além de motorização 1.5 turbo e novo câmbio CVT que simula 9 marchas. O resultado é um carro bastante equilibrado, que oferece bastante tecnologia embarcada, conforto e segurança a bordo, fora o desempenho que cumpre aquilo a que se propõe.
Com 150 cavalos de potência quando abastecido com etanol, o Tiggo 5X PRO vai bastante bem tanto na cidade como na estrada. Oferece respostas seguras e arranca com facilidade. É daqueles que sempre você tem nas mãos. Com o passar dos dias, adaptando-se melhor ao tipo de condução, fica ainda melhor. O câmbio CVT se corresponde muito bem com motor, aumentando a sensação de conforto, sem as forçadas que foram fruto de algumas queixas na versão anterior do modelo. O único senão fica por conta do consumo de combustível. Difícil conseguir mais que 6 km/l na cidade. Na estrada, aproxima-se dos 10 por litro.


O visual do Tiggo 5X PRO melhor principalmente na frente, com uma nova grade que passa a idéia de três dimensões, com uma alusão direta a diamantes. Passa a impressão de superioridade, aliada a um conjunto ótico bastante harmonioso, com faróis em LED e lanternas bem distribuídas, junto às luzes DLR. A traseira não mudou quase nada, a não ser um novo para-choques e duas saídas não reais do escapamento, que passar um ar de esportividade ao modelo. No perfil lateral, destaque para as rodas de liga leve de 18 polegadas.
No interior do Tiggo as melhores surpresas. O acabamento com bastante material emborrachado e couro artificial são dignos de um automóvel premium. Para isso, contribuem alguns detalhes em aço escovado. A tecnologia embarcada contribui bastante para o bem-estar a bordo. Há um grande porta-objetos abaixo do console central, onde ficam duas entradas USB e uma tomada 12V. Junto ao apoio de braço, outro compartimento com saída do ar-condicionado dentro, garante a refrigeração. Apesar do fácil espelhamento de Apple CarPlay e Android Auto por cabo, dá para sentir a ausência do carregamento por indução, presente nos concorrentes diretos.

No display central, tem câmera de ré e 360 graus, com opções de visualização 2D e 3D. Na última, simula uma visão do carro de fora, tanto de frente como da traseira, facilitando demais na hora de manobrar ou até para se situar em relação a demais veículos da via ou para identificar a aproximação de outras pessoas, quando você está parado em um semáforo, por exemplo.
O espaço interno também é elogiável. Há boa posição tanto para o motorista como para o passageiro do banco da frente. Atrás, três pessoas vão com bom nível de conforto, até aquelas com maior estatura encontram espaço razoável para as pernas, sem bater a cabeça no teto, inclusive. Já o porta-malas deixa a desejar para um SUV deste porte, já que oferece apenas 340 litros de espaço, bem menos que concorrentes diretos.

Vale salientar alguns itens de série que podem ajudar na hora de decidir que carro comprar na faixa dos R$ 155 mil. São seis airbags, chave presencial com partida por botão, freio de estacionamento eletrônico, sistema de câmeras 360 graus de alta resolução, controles eletrônicos de tração e de estabilidade e monitoramento da pressão dos pneus.

Comentar

Clique aqui para comentar