Início » AVALIAÇÃO – Renault Sandero GT-Line, um 1.0 de entrada com um visual mais esportivo
Carro

AVALIAÇÃO – Renault Sandero GT-Line, um 1.0 de entrada com um visual mais esportivo

Confira a avaliação da versão com visual esportivo do Renault Sandero 10, o GT-Line

Quando o consumidor vai às comprar em busca de um novo carro, vários fatores são levados em consideração, como a marca, motorização, tamanho, espaço e, com certeza, o valor que se quer gastar na aquisição. Para atrair o público interessado em modelos de entrada, com bom espaço interno, motor com desempenho razoável e um estilo diferenciado, a Renault tem algumas opções interessantes no mundo dos 1.0, entre o subcompacto Kwid e o já consagrado Sandero.  

O GuarulhosWeb avaliou durante sete dias a versão GT Line do Sandero, equipado com o motor 1.0 SCe, um três cilindros aspirado, com câmbio manual de cinco marchas, que vai um pouco além que a versão de base Zen, pelo apelo esportivo em seu visual. Não é nada demais ou extraordinário. Mas acaba sendo uma opção interessante por quem busca um modelo mais completo, com pequenos detalhes visuais que passam a ideia de um carro mais esportivo.  

Durante a avaliação, o motor 1.0 três cilindros da Renault demonstrou a mesma eficiência já apresentada anteriormente com outros modelos da marca. O desempenho é satisfatório, seguindo as limitações naturais de um propulsor que gera 79 cavalos com gasolina e 82 cv com etanol (combustível utilizado). Quando o ar condicionado está acionado, ele sente um pouco e pede reduções de marcha com mais frequência no anda e para do trânsito urbano. O consumo de combustível também não assusta.  

O sistema multimídia Mídia Nav, que equipa o Sandero GT-Line, é bastante intuitivo e traz diferentes informações de forma bastante prática e rápida. Conecta facilmente como smartphone e de, quebra, conta com a função de atribuir notas ao condutor, conforme a forma de dirigir em relação à troca de marchas, aceleração e antecipação. O motorista vai ganhando estrelas conforme pisa mais forte no acelerador, por exemplo, ou como trabalha com o câmbio. Na prática, tem uma importante função didática que garante uma condução mais responsável.  

Entre as novidades visuais estão aerofólio traseiro, aplique no para-choque traseiro, retrovisores na cor cinza, faróis de neblina e máscara negra nas lanternas. No interior, volante em couro e bancos com nova padronagem de tecido e bordado com a identidade visual da Renault Sport nos apoios de cabeça. O painel de instrumento e as saídas de ar trazem detalhes na cor azul. 

O Sandero GT-Line 1.0 traz todos os equipamentos da versão Zen como sistema multimídia com Android Auto e Apple Carplay, quatro airbags, ar-condicionado, direção eletro-hidráulica, vidros elétricos dianteiros e travas elétricas, adicionando vidros elétricos traseiros e rodas de liga leve 15”.  

As mudanças estéticas (externas e internas) incorporadas no Sandero GT Line foram concebidas pela equipe do Renault Design Center São Paulo, o estúdio de design da marca no continente americano. 

A própria Renault deixa claro em seus conceitos que a GT Line é só no visual mais esportivo. Mudanças mecânicas estão na GT e na RS, que no Sandero, conta com motorização 2.0.  

O preço sugerido da versão GT Line 1.0 é de R$ 63 mil.

Comentar

Clique aqui para comentar