Estadão

BCE diz não ver sinais de que alta da inflação esteja se tornando mais ampla

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, disse nesta terça-feira, 28, que, por enquanto, a instituição não identificou sinais de que o salto da inflação na zona do euro esteja se tornando mais amplo. Lagarde, que discursou durante evento do BCE, disse que a política monetária precisa "ver além" da alta de inflação causada por problemas de oferta temporárias.

Segundo Lagarde, o BCE não deve reagir de forma exagerada a questões transitórias, como as de oferta, e só tomará medidas se julgar que eventuais avanços da inflação são duradouros.

Lagarde também previu que a inflação da zona do euro deverá se aproximar gradualmente da meta de 2% do BCE assim que os efeitos da pandemia de covid-19 forem superados.

Ela apontou ainda que o comportamento dos salários ainda não deu sinais de "efeitos secundários significativos".

Sobre a economia, Lagarde previu que o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro deverá superar níveis pré-pandemia até o fim do ano, mas ressaltou que a taxa de desemprego só voltará a ficar abaixo de onde estava antes da covid-19 no segundo trimestre de 2023.

Lagarde avaliou ainda que a zona do euro vivencia uma recuperação atípica, depois de enfrentar uma recessão, e ressaltou que o BCE precisará manter uma política monetária acomodatícia para que o bloco saia da pandemia com segurança.