Estadão

Bolsas da Europa fecham em alta, de olho em Fed, dados e balanços corporativos

As bolsas da Europa fecharam em alta nesta quinta-feira, 27, em linha com o clima positivo em Wall Street, após dados econômicos nos Estados Unidos e balanços corporativos. Investidores reagiram também à decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que, na quarta-feira, sinalizou iminente aumento de juros.

O índice Stoxx 600, que reúne algumas das principais ações da região, encerrou a sessão com ganho de 0,65%, a 470,33 pontos.

O Fed manteve os juros na quarta-feira, mas indicou que está pronto para elevá-los já em março, em meio à escalada da inflação e à firme retomada da economia. O Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA cresceu 5,7% em 2021, conforme informou nesta quinta o Departamento do Comércio. No quarto trimestre, a expansão foi de 6,9%, superando previsão de analistas.

Os dados ajudaram a manter aquecida a busca por ativos de risco nas mesas de operações. Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 ganhou 1,13%, a 7.554,31 pontos.

Em Frankfurt, o índice DAX teve alta de 0,42%, a 15.524,27 pontos. Entre ações em foco, Deutsche Bank subiu 2,79%, após balanço com lucro superior à previsão no quarto trimestre.

Na agenda de indicadores local, o índice GfK de confiança do consumidor na Alemanha subiu a -6,7 para fevereiro, ante previsão de -8 dos analistas. Para o ING, é improvável que a confiança do consumidor alemão e recupere em breve, diante de uma queda real nos salários em 2021, que pesa sobre o consumo privado.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 subiu 0,60%, a 7.023,80 pontos. Renault teve avanço de 0,14%, após anunciar investimento com parceiro em veículos elétricos.

Em Milão, o índice FTSE MIB fechou com ganho de 0,99%, em 26.882,47 pontos.

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX 35 avançou 1,00%, a 8.706,00 pontos.

Já em Lisboa, o PSI 20 fechou em alta de 0,70%, em 5.562,04 pontos.