Estadão

Bolsonaro e Castillo querem ampliar comércio e construir corredor multimodal

Os presidentes Jair Bolsonaro (PL) e Pedro Castillo, do Peru, desejam ampliar o comércio bilateral e as iniciativas de desenvolvimento sustentável na Amazônia, além de construir um corredor multimodal para integrar os dois países, afirma declaração conjunta publicada pelo Ministério das Relações Exteriores após o encontro entre os líderes em Porto Velho (RO).

Os dois países têm "visão coincidente" sobre a necessidade de se fomentar a democracia, os direitos humanos e o desenvolvimento sustentável na América do Sul e no mundo, diz o comunicado. Bolsonaro e Castillo, de esquerda, são considerados pela oposição como presidentes autoritários.

Ainda segundo a declaração, os líderes se comprometeram, na agenda de hoje, em estabelecer "formas concretas de integração produtiva" entre os países, particularmente em matéria de zonas francas e micro, pequenas e médias empresas. Os líderes ainda acordaram que irão articular, "com a maior brevidade", uma reunião para tratar da ampliação do Acordo de Ampliação Econômico-Comercial.

Outro entendimento firmado no encontro é de que os países devem avaliar a abertura dos mercados a produtos de interesse de ambos ou melhorar as condições de acesso existentes, em matéria sanitária e fitossanitária.

De acordo com a declaração conjunta, as nações irão trabalhar na criação de novas rotas aéreas e de um corredor multimodal que una Brasil e Peru pelas cidades de Yurimaguas, Iquitos e Manaus, ao longo dos rios da Bacia Amazônica.

O objetivo da iniciativa é explorar a geração de novos fluxos de comércio e investimento na fronteira amazônica e identificar soluções logísticas que aumentem a competitividade dos produtos de ambos países.

Bolsonaro e Castillo deixaram o encontro sem conversar com a imprensa sobre o desfecho da agenda.