Estadão

Bolsonaro elogia presidente do BC e instituição por SVR, que está fora do ar

O presidente da República, Jair Bolsonaro, usou o canal do Banco Central para resgatar recursos parados em contas inativas como um feito do governo para "devolver" dinheiro à população, mas o site está fora do ar. As consultas ao Sistema Valores a Receber (SVR), canal em que é possível buscar o dinheiro "esquecido" nos bancos, só poderão voltar a ser realizadas no dia 14 de fevereiro.

O novo serviço, que permite que a população busque se tem dinheiro esquecido em contas encerradas com saldo disponível ou devido a tarifas cobradas indevidamente em operações de crédito, por exemplo, entrou em operação no dia 24 de janeiro. Nos dias 25, 26 e 27, o site ficou totalmente indisponível, o que levou o BC a retirá-lo do ar.

Segundo a autarquia, no dia do lançamento do SVR, a quantidade de acessos ao site foi 20 vezes maior que um dia de alto volume – ou 50 vezes maior que um dia normal.

O elogio de Bolsonaro foi dado em cerimônia no Planalto após o presidente da República receber o presidente do BC, Roberto Campos Neto, em audiência reservada.

"Ele me disse que foram descobertos nos escaninhos do Banco Central R$ 8 bilhões de reais, milhares de pessoas com contas inativas que não tinham mais conhecimento delas", afirmou Bolsonaro. "Um governo que devolve dinheiro à sua população, parabéns ao Banco Central, ao nosso presidente."

A consulta aos valores esquecidos será feita em duas fases. O BC calcula que há R$ 3,9 bilhões em valores "esquecidos" nas instituições financeiras nessa primeira etapa, de 28 milhões de CPF e CNPJ. No total, são R$ 8 bilhões.

Além das consultas, também foram adiados os pedidos de solicitação de transferência, em caso de existência de algum valor a receber em instituições financeiras.

Segundo o BC, essas solicitações poderão ser agendadas a partir de 7 de março, sendo que o cidadão será informado sobre a data em que poderá fazer o pedido imediatamente após identificar os valores a receber.