Início » Cantinho Animal – Conjuntivite canina
Pet

Cantinho Animal – Conjuntivite canina

Assim como os humanos, os cães e gatos também podem apresentar conjuntivite. Embora as causas sejam diferentes nas variadas espécies animais e nos humanos, em raríssimos casos podemos ter o mesmo agente etiológico infectando o animal e o homem. Para que isto ocorra é necessário que o agente causador da conjuntivite consiga infectar as 2 espécies e que haja um contato direto ou indireto entre os olhos do animal e da pessoa acometida (por exemplo, pessoas com conjuntivites que coçam o olho e, logo em seguida, passam a mão no rosto do animal).

A conjuntivite é uma enfermidade ocular, caracterizada pela inflamação da conjuntiva. A conjuntiva é uma mucosa que protege os olhos, ficando sob as pálpebras e, no seu estado normal, tem a cor rosada. Entretanto, a conjuntiva está associada a muitas doenças dos olhos em razão de sua exposição e proximidade às estruturas oculares externas e internas. Ela representa um papel importante em manter toda a superfície do olho irrigada com lágrima, protegendo o olho e cicatrizando a córnea após determinadas lesões. Algumas outras doenças sistêmicas também podem causar conjuntivite, principalmente doenças infecciosas, como por exemplo, a Cinomose.

Desse modo, a enfermidade pode ter causas diferentes, como: infecciosas, alérgicas e traumatizantes. As infecciosas são causadas então por vírus, bactérias e fungos, tanto os que acometem a região ocular, quanto às infecções sistêmicas citadas há pouco. As causas alérgicas ocorrem com grande freqüência, geralmente devido à irritação por pólen de plantas, contato com determinados insetos ou o contato com substâncias a que o animal seja alérgico. Estes casos são os que apresentam maior índice de recidiva, devido à re-exposição ao fator alérgico. Há ainda o tipo traumatizante, causado por objetos estranhos que entrem em contato com os olhos, como areia e pêlos. Esta última causa pode ocorrer com maior freqüência em animais que passeiam bastante de carro com a cabeça para fora.

Independente da sua causa, os sintomas são muito comuns, observando-se edema palpebral, vermelhidão da conjuntiva, intolerância à luz, lacrimejamento, corrimento ocular seroso ou purulento e blefaroespamo (piscar constante, deixando as pálpebras quase que completamente fechadas). Em muitos casos, pode ser bastante dolorosa.

O tratamento da conjuntivite quase sempre é realizado apenas com medicamentos tópicos (colírios e pomadas oftálmicas), entretanto, em alguns casos é necessária também medicação sistêmica por via oral.

 

Rafael Claro Marques

(CRMV-SP 18.840) é médico veterinário e pós-graduado em Clínica Médica de Pequenos Animais

[email protected]

Comentar

Clique aqui para comentar