Início » Cantinho Animal – Gravidez Psicológica
Pet

Cantinho Animal – Gravidez Psicológica

O que fazer quando sua cadelinha, depois do cio e mesmo sem ter acasalado começa a fazer ninhos pela casa, se comportar de maneira estranha, chorar pelos cantos e ficar com as mamas cheias de leite? Ela pode estar grávida psicologicamente.

A gravidez psicológica, ou pseudociese, é muito mais comum do que pensamos e ocorre em mais de 50% das cadelas não castradas. Além das mudanças comportamentais, ela causa alterações físicas, como o desenvolvimento das glândulas mamárias e a produção de leite. A pseudociese também pode acometer as gatas, porém é bem mais comum entre as cadelas. Freqüentemente, ocorre em fêmeas que nunca cruzaram e que já passaram por mais de um cio, porém, pode acontecer no primeiro cio.

Este distúrbio é causado por variações hormonais que acontecem depois de cada cio, afetando física e psicologicamente o animal. Geralmente, dura em média três semanas, entretanto, pode ser prolongada nos casos em que a fêmea mama em si mesma (a chamada auto-sucção). Este sintoma é grave e pode levar à infecção nas glândulas mamárias.

Estudos indicam que a enfermidade ocorre devido à memória genética do comportamento dos lobos, os ancestrais do cão. Na alcatéia, só a fêmea líder irá ser fecundada pelo macho líder. Essa fêmea, geralmente, é a melhor caçadora e, terá que deixar seus filhotes para caçar. Para garantir que esses filhotes sejam amamentados, as fêmeas não fecundadas têm a falsa gravidez e, passam a cuidar dos filhotes, na ausência da fêmea líder.

Assim, os principais sintomas são: falta de apetite, agressividade, carência, mamas inchadas e com presença de leite (nesses casos, pode também ocorrer febre), a cadela poderá preparar um ninho para receber os filhotes, além de adotar um objeto para cuidar e proteger. Se esses sintomas ocorrerem, não dê brinquedos à cadela (ela pode adotá-los como filhos e estender o seu período de gravidez psicológica), troque a cama de lugar (com isso ela vai sentir uma quebra de rotina e pode se desapegar do ninho), faça passeios diários variando os horários e procure exercitar a cadela com outras atividades diversas.

Atualmente já temos medicamentos que podem ser utilizados para reverter estas mudanças hormonais, reduzindo a produção de leite e melhorando o comportamento das cadelas. Em casos crônicos, o melhor método é a castração, evitando possíveis recidivas. Entretanto só um médico veterinário pode diagnosticar esta enfermidade e propor uma conduta de tratamento adequada ao seu animal.

Rafael Claro Marques (CRMV-SP 18.840) é médico veterinário e pós-graduado em Clínica Médica de Pequenos Animais – [email protected]

Comentar

Clique aqui para comentar