Cidades

Casas André Luiz completa 73 anos com queda no número de doações

Aniversário é sempre sinônimo de superação para aqueles que atuam no Terceiro Setor brasileiro. Para a Casas André Luiz, que completa 73 anos de trabalho em prol da causa da pessoa com deficiência física e intelectual em 28 de janeiro deste ano, a situação não é diferente. Cada ano é uma nova vitória; uma nova conquista alcançada em nome de todos os assistidos pelas Unidades de Atendimentos administradas pela Instituição.

Claro, há motivos de sobra para comemorar a atuação da entidade, reconhecida por oferecer atendimento especializado e gratuito na área clínica e terapêutica para mais de 1.700 pessoas, entretanto, a instabilidade socioeconômica do país é duro golpe para quem depende do apoio das empresas do setor privado e da solidariedade da população para sobreviver.

Houve queda de 7% no número de arrecadações, principalmente na doação de alimentos e de móveis usados — vendidos nos bazares beneficentes Mercatudo para auxiliar nos custos recorrentes da organização —, quando comparado a janeiro de 2021, que já apresentava queda história de 10% no mesmo período.

“São 73 anos de histórias, de amor, de muito trabalho e dedicação à causa da pessoa com deficiência intelectual e física no Brasil”, afirma Margareth Pummer, presidente do Conselho Diretor da Casas André Luiz. “E podemos dizer, com satisfação, que nós somos referência quando o assunto é inclusão, respeito, igualdade, equidade, atendimento humanizado e individual feito para suprir as necessidades daqueles que mais precisam. Porém, vivemos uma triste realidade desde o início da pandemia, em 2020”.

Um dos principais vilões desse cenário é a inflação que afeta o preço de produtos e serviços básicos, como alimentos, combustíveis e a energia elétrica. Enquanto a conta no final do mês aumenta devido uma série de fatores externos, devido a seca no Sul do país, as chuvas e alagamentos no Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste, ou a instabilidade cambial recorrente, o poder de compra do brasileiro enfrenta vertiginosa queda. Segundo levantamento realizado pela consultoria Tendências, publicado pela equipe de reportagem do G1 em abril de 2021, a renda disponível para consumo da classe C caiu cerca de 10%, passando de R$ 286 milhões para R$ 259 milhões.

“Acredito que este seja um momento de adaptação, coragem e aprendizado para todas as organizações do Terceiro Setor. Um momento de fortalecer parcerias, de apoio mútuo. Tenho fé no poder de transformação das pessoas e que seremos capazes de superar, juntos, mais este desafio desta nobre caminhada em prol da pessoa com deficiência”, conclui Margareth.

Saiba como doar

O interessado pode entregar a doação nas unidades da Casas André Luiz das cidades de Guarulhos ou São Paulo. Existe também a possibilidade de contribuir on-line. Basta acessar o site www.casasandreluiz.org.br para conhecer as opções disponíveis.