Estadão

China Telecom é banida do mercado dos EUA, o que pode elevar tensão com Pequim

A Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos votou na segunda-feira, 25, para retirar a autorização da China Telecom de operar nos Estados Unidos, citando "potenciais ameaças de segurança". A empresa está sujeita à exploração, à influência e ao controle do governo chinês e é "altamente provável" que seja forçada a cumprir as requisições de Pequim, avaliou o órgão.

O regulador dos EUA disse que Pequim poderia, em tese, acessar, armazenar ou causar problemas nas comunicações dos EUA. A empresa não respondeu a um pedido de comentário sobre o caso.

No ano passado, a FCC havia advertido que poderia barrar as três companhias estatais de telecomunicações chinesas de operar em solo americano. China Unicom Americas e Pacific Networks são os outros dois grupos na mira do regulador. No ano passado, a Huawei e a ZTE, fabricantes chinesas de equipamentos móveis e fornecedoras de redes, foram também declaradas ameaças à segurança.

A decisão ocorre pouco após o presidente dos EUA, Joe Biden, e o da China, Xi Jinping, se comprometerem a reforçar canais de comunicação após anos de tensões crescentes, com uma reunião virtual prevista ainda para este ano.