Estadão

Com Schwartzman, Argentina vence a Grécia e fica perto de semifinal da ATP Cup

Em uma das melhores da ATP Cup até agora, Diego Schwartzman conseguiu uma grande reação diante do grego Stefanos Tsitsipas, atual número 4 do mundo, e colocou a Argentina muito perto da semifinal da competição entre seleções, que está sendo disputada em Sydney, na Austrália. A vaga será decidida nesta quarta-feira em duelo direto contra a Polônia, que também ganhou seus dois confrontos do Grupo D até o momento.

Schwartzman perdeu primeiro set e sofreu quebra logo no primeiro game seguinte, mas achou forças para se recuperar e fechar o jogo de 2 hora e 42 minutos por 2 sets a 1 – com as parciais de 6/7 (5/7), 6/3 e 6/3. No primeiro jogo do duelo, Federico Delbonis também marcou a sua segunda vitória na competição ao superar Michail Pervolarakis por 7/6 (7/5) e 6/1.

Tsitsipas havia evitado jogar contra o polonês Hubert Hurkacz na primeira rodada para poupar o cotovelo, que sofreu cirurgia no final do ano passado. Mas mostrou bom nível físico, forçando bem mais o jogo contra Schwartzman. Anotou quase o dobro de winner, com 37 a 19, mas também muito mais erros (57 a 25). Faltou mesmo o primeiro serviço, com acerto de 55%, que o levou a muitos ralis diante do excepcional argentino.

"Sabia que poderia ser um jogo longo, mas me preparei bem para este começo de temporada", afirmou Schwartzman, que começa o ano como número 13 do mundo. "Foi difícil sofrer a quebra logo depois de perder o tie-break. Achei um jeito de reagir. Não sou daqueles que consegue dois aces seguidos, então tenho de estar preparado para correr o tempo todo", brincou.

No outro confronto do grupo, Hurkacz comandou a Polônia a mais uma vitória, mas levou um susto diante do georgiano Aleksandre Metreveli, atual 571 do mundo, que venceu o primeiro set contra o nono colocado no ranking da ATP, mas depois não sustentou a vantagem e levou a virada com o placar final de 6/7 (5/7), 6/3 e 6/1.

"Ele jogou bem no primeiro set e as coisas não estavam indo do meu jeito. Mas eu melhorei a cada set e estou feliz com a vitória", disse Hurkacz, que apesar de ter saído atrás no placar, foi dominante no saque com seus 16 aces.

No duelo que abriu a série, o polonês Kamil Majchrzak (117.º) fez valer o ranking bem superior ao do georgiano Aleksandre Bakshi (974.º) e venceu sem sustos, aplicando duplo 6/1 em apenas 53 minutos de partida.

GRUPO A – Depois de estrear na ATP Cup com uma vitória tranquila sobre o Chile, a Espanha garantiu mais um triunfo na competição. Abrindo a segunda rodada no Grupo A, a equipe espanhola contou com mais boas vitórias de Pablo Carreño Busta e Roberto Bautista Agu, ambas em sets diretos, para assegurar o placar de 2 a 0 sobre a Noruega.

Carreño Busta precisou de apenas 69 minutos para derrotar Viktor Durasovic com um duplo 6/3. "É sempre importante vencer a primeira partida. Me senti cada vez mais confortável do que no primeiro dia. É normal. Precisamos de ritmo, precisamos de confiança. No início, talvez ele tenha errado muito, mas depois disso começou a jogar muito bem e foi uma partida difícil", disse o espanhol.

Na segunda partida do dia, Bautista Agut teve um páreo duro contra Casper Ruud, Topa 10 do ranking, mas também obteve uma vitória por 2 sets a 0, marcando parciais de 6/4 e 7/6 (7-4), depois de 1 hora e 45 minutos de confronto.

No outro duelo da chave, o Chile derrotou de virada a Sérvia por 2 a 1. Filip Krajinovic fez o primeiro ponto para os sérvios ao ganhar de Alejandro Tabilo por 2 sets a 1 – com parciais de 6/4, 3/6 e 7/6 (7/5) – e, na sequência, os chilenos empataram com o triunfo de Cristian Garin sobre Dusan Lajovic por 4/6, 6/4 e 3/0 com desistência.

Nas duplas, Tomas Barrios e Tabilo ganharam de Nikola Cacic e Matej Sabanov por 2 a 1 – parciais de 6/4, 3/6 e 10 a 7 no match tie-break.