Economia

Dólar recua em meio a incertezas sobre o governo

O dólar fechou em queda ante o real nesta terça-feira, 18, em sintonia com o recuo registrado em relação a outras divisas no exterior. As expectativas em torno das nomeações para postos-chave no governo também continuaram permeando os negócios na área de câmbio. No fim do dia, o dólar à vista registrou queda de 0,50%, aos R$ 2,5890, no balcão. O volume de negócios somava US$ 1,070 bilhão perto das 16h30, sendo US$ 1,003 bilhão em D+2. No mercado futuro, o dólar para dezembro perdia 0,82%, aos R$ 2,5980.

O dólar registrou queda praticamente ao longo de toda sessão, com alta pontual no fim da amanhã, quando a reunião da presidente Dilma Rousseff com o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, a primeira após seu retorno do G-20, já durava perto de duas horas, sem que qualquer notícia sobre a futura equipe econômica fosse dada ao mercado.

À tarde, a moeda se firmou em baixa, influenciada pelo recuo do dólar no exterior em relação ao euro e outras moedas commodities. O euro ganhou força hoje após o índice ZEW de expectativas econômicas da Alemanha subir para 11,5 em novembro, de -3,6 em outubro. A previsão de analistas era de alta significativamente menor do índice, a 0,9. Nesta tarde, o euro avança a US$ 1,2439, de US$ 1,2452 no fim da tarde de ontem em Nova York.

O dólar subia ante o iene no fim da tarde, após operar com volatilidade mais cedo. Hoje, o governo do Japão anunciou que adiou o aumento de imposto previsto para o ano que vem e está preparando um pacote de estímulo para ajudar o consumo no país, depois de dados mostrarem que a economia entrou em recessão no terceiro trimestre. Perto das 16h30, o dólar subia a 116,78 ienes, de 116,62 ienes no fim da tarde de ontem em Nova York.

No fechamento da sessão, os investidores seguiam na expectativa sobre os desdobramentos da reunião entre a presidente Dilma Rousseff e ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante. Este é o único compromisso presente na agenda oficial de Dilma para hoje.

Comentar

Clique aqui para comentar