Política

Em crise financeira, Prefeitura deve demitir cerca de 500 comissionados

Com dificuldade para honrar os compromissos de ordem financeira assumidos, a Prefeitura optou por cortar custos da Administração Pública para tentar reorganizar as finanças do município, conforme publicação do Diário Oficial, na última terça-feira, 07. Como medida, o prefeito Sebastião Almeida (PT), além de propor a revisão de quantidade de cargos nas secretarias, deve demitir aproximadamente 500 colaboradores que atuam na condição de comissionado.
 
Em linhas gerais cada Secretaria terá de reduzir em 10% seus custos operacionais. Consideradas Pastas essenciais, Educação e Saúde devem contribuir para as medidas adotadas em 5%. Além da redução de cargos públicos, o Governo Municipal projeta também realizar a revisão de contratos de prestação de serviços ao município. Custos com energia elétrica, água e combustível terão seus usos controlados com rigor.
 
Diante deste cenário, a Administação Pública pretende realizar até o final deste mês, cerca de 500 demissões para conter custos e recuperar o poder de investimentos. Apesar da Prefeitura não revelar a possível economia com estes cortes, o GuarulhosWeb apurou que o Governo Municipal deve deixar de gastar a quantia de mais de R$ 3 milhões mensais. No entanto, não revelou por quais motivos o Chefe do Executivo.
 
A grande maioria destes colaboradores que serão dispensados e trabalham de forma comissionada (profissionais que atuam sem a necessidade de aprovação por concurso público), estão cedidos pela Prefeitura à Câmara Municipal para prestação de serviço em diversos gabinetes. Caso haja a necessidade de realizar contratações, a sua aprovação irá depender de aprovação do Comitê Gestor, que terá a incumbência de resgatar a saúde financeira da cidade.
 
André Castro (Secretário de Finanças), Severino Silva (Secretário de Assuntos Jurídicos), Benedito Aparecido (Governo) e Vitor Almeida (Secretário de Administração e Modernização), formam o Comitê Gestor. A reportagem do GuarulhosWeb entrou em contato com a Prefeitura, através de e-mail e telefone, para esclarecimentos sobre quais foram os motivos destas medidas austeras realizadas pelo prefeito Sebastião Almeida, porém, não obtivemos resposta até o fechamento desta matéria.