Saúde

Estado suspende aplicação da vacina para adolescentes até receber mais doses do Ministério

O Estado suspendeu o início da imunização de adolescentes que possuem deficiências, comorbidades, gestantes e puérperas, inicialmente prevista para começar em 18 de agosto. Segundo o secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, o corte de 50% no envio de vacinas da Pfizer – única autorizada pela Anvisa para aplicação neste público – pelo Governo Federal a São Paulo ‘deixa em aberto’ a campanha.

São Paulo recebeu do Ministério da Saúde 228 mil doses a menos do imunizante. “Quero mostrar a minha indignação como Governador do Estado com a postura do Ministério da Saúde, que quebra o pacto republicano e retira vacinas de São Paulo de forma injusta, de forma arbitrária. Nós vamos reagir na forma da lei para evitar que brasileiros de São Paulo sejam prejudicados”, afirmou o Governador João Doria.

“O Plano Estadual de Imunização definiu o início da vacinação dos adolescentes com comorbidades, com deficiências, gestantes e puérperas no dia 18 de agosto. A vacinação destes adolescentes nesta data está em aberto até que o Ministério da Saúde regularize esta situação e garanta a continuidade dos envios de doses na proporcionalidade que vem sendo praticada até aqui”, destacou o Secretário Executivo da Secretaria da Saúde, Eduardo Ribeiro.

Na terça-feira, 3, a Secretaria da Saúde enviou ofício ao Ministério da Saúde pedindo para que mais 228 mil doses do imunizante fossem entregues em prazo de até 24 horas, o que não ocorreu.