Economia

Expansão do crédito para PJ acompanhou sazonalidade da atividade, diz BC

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, destacou nesta segunda-feira, 22, que a expansão de 1,6% do crédito para Pessoa Jurídica (PJ) acompanhou a sazonalidade da atividade no fim do ano. O comércio, lembrou o técnico, puxa o ritmo de consumo nesta época com o Natal e Ano-Novo. “O comércio é mais dinâmico”, salientou.

Ele enfatizou também que a expansão do crédito de forma geral está dentro do previsto pelo BC e que essa alta ocorre em um ambiente de inadimplência praticamente estável. “A taxa de inadimplência está historicamente baixa e as taxas de juros no mês relativamente estáveis”, considerou.

Maciel destacou também que a expansão de crédito por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é explicada em parte pela alta do dólar. “O câmbio influencia o saldo do BNDES porque parte da carteira está ligada a isso”, disse. Ele lembrou que a alta do dólar no mês passado foi de 4,7%. Em 12 meses, no entanto, a oferta de crédito por meio do banco de fomento mostra arrefecimento e que, se não fosse o comportamento das moedas, talvez ocorresse uma diminuição do ritmo desse tipo de financiamento também na margem.

Questionado sobre se a alta da Selic poderá ter efeito sobre o spread nos próximos meses, já que as taxas ficaram praticamente estáveis desde o início do atual ciclo de aperto monetário, o chefe do Departamento preferiu não fazer projeções. “Vamos esperar para ver”, disse.