Cidades

Fim da Bandeira Tarifária Escassez Hídrica: EDP dá dicas de consumo consciente para potencializar a ação

Rio de Janeiro - Consumo de energia elétrica, lâmpada e interruptor de luz. (Fernando Frazão/Agência Brasil)

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) anunciou o final da Bandeira Tarifária Escassez Hídrica que acresce R$ 14,20 a cada 100 kWh consumido na conta de energia dos brasileiros e o retorno da Bandeira Verde. A iniciativa terá início a partir de 16 de abril. Com objetivo de orientar e reforçar a conscientização sobre o uso eficiente e racional da energia elétrica, a EDP, distribuidora de energia elétrica de Guarulhos, Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte de São Paulo, reforça dicas para evitar o desperdício.

O sistema de bandeiras tarifárias, criado pela ANEEL em 2015, funciona como uma sinalização para que o consumidor de energia elétrica conheça, mês a mês, as condições e os custos de geração no País. Quando a produção nas usinas hidrelétricas (energia mais barata) está favorável, aciona-se a bandeira verde, sem acréscimos na conta. Em condições menos favoráveis, podem ser acionadas a bandeira amarela, vermelha patamar 1 ou vermelha patamar 2. Porém, desde setembro de 2021, por conta dos níveis críticos dos reservatórios brasileiros, houve a criação da Bandeira de Escassez Hídrica, pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE). E agora, com a melhora da situação por conta das chuvas nos últimos meses, houve o anúncio da retomada à Bandeira Verde.

Confira dez dicas para um consumo de energia mais eficiente:

1) Iluminação: Aproveite ao máximo a luz natural do dia e lembre-se de sempre apagar as lâmpadas que não estiver utilizando. Se possível, substitua as lâmpadas incandescente e fluorescentes compactas antigas por lâmpadas de LED, que duram mais e gastam menos energia.

2) Chuveiro: Programe o banho da família para o período mais quente do dia, e, se possível, use o chuveiro na posição “verão”, já que a economia do equipamento nesta configuração pode chegar a 30%. Vale lembrar que o tempo ideal para um banho sem desperdício é de 5 a 8 minutos. Além disso, não é indicado reaproveitar uma resistência queimada, pois pode acarretar elevação no consumo elétrico, além de risco à segurança.

3) Geladeira: Este equipamento corresponde, em média, a 30% do consumo total de uma residência. Mesmo estando em casa, procure não abrir a geladeira com frequência. Antes de puxar a porta, pense no que precisa retirar, ou seja, diminua o tempo que a porta ficará aberta. Certifique que a borracha de vedação da porta do refrigerador está em bom estado para evitar esforço excessivo do equipamento.

 

4) Máquina de lavar e ferro de passar roupa: Junte o máximo de roupas, otimizando o uso da máquina de lavar em sua capacidade máxima. O mesmo vale para o ferro de passar roupas. O ideal é utilizar uma ou duas vezes por semana estes equipamentos.

5) Ar condicionado: Utilize o equipamento somente em ambientes fechados, com janelas e portas bem vedadas. Mantenha sempre limpo o filtro de passagem do ar para que não haja necessidade de esforço extra do aparelho, o que consome mais energia.

6) Eletrônicos: Ao terminar o trabalho no computador, desligue o equipamento eletrônico, inclusive tirando-o da tomada, pois a função stand by também consome energia. Para evitar o desperdício, programe a proteção de descanso de tela quando o equipamento não estiver em uso. Quanto à televisão, não durma com o aparelho ligado e, se for o caso, coloque a programação Soneca.

7) Celular: Quando o aparelho não estiver em carregamento, retire-o da tomada. Faça o mesmo com o carregador. A energia gasta é pequena, porém ganha outra dimensão quando se soma ao gasto de energia de todos os demais aparelhos. Por questão de segurança, não utilize o celular enquanto o aparelho é carregado na tomada.

 

8) Benjamim: Evite ligar mais de um equipamento na mesma tomada, usando benjamins ou “T”, pois tal procedimento, além do aumento do consumo, aumenta a chance de curto-circuito. Em caso de necessidade, utilize o filtro de linha com fusível, evitando aquecimento da fiação e desperdício de energia.

 

9) Na hora de comprar: Ao comprar um novo equipamento, verifique sua classificação no selo Procel, que indica o grau de eficiência energética e economia do produto. Nesse selo, é possível conferir a eficiência de diversos aparelhos em uma escala que vai de E — menos eficiente — até A — mais eficiente. Tenha cuidado ao ligar na tomada correta (10 ou 20 Amperes) e se o circuito elétrico comporta o equipamento.

10) Cuidado com as instalações: As instalações elétricas internas das residências devem sempre estar em bom estado e com as cargas energéticas instaladas de forma equilibrada, evitando possíveis fugas de corrente e acréscimo de consumo.