Estadão

Foxbit negocia captação com bancos

Depois da abertura de capital bilionária da Coinbase e da captação do Mercado Bitcoin, a Foxbit, outra empresa nacional de criptoativos, está em busca de um investidor para ampliar sua operação, iniciada em 2014. As conversas começaram há cerca de 20 dias, conta o fundador e presidente da Foxbit, João Canhada. "Já sentamos para conversar com três bancos. Eles querem entrar na iniciativa, estão pensando como participarão desse mercado", diz.

Segundo Canhada, quando a empresa foi criada, havia muita discriminação. Agora, o mercado que gira trilhões de dólares. "Hoje já é claro que essa é a próxima onda. Os bancos já testarem o apetite dos clientes, que querem esse produto, então agora estão aprendendo como entrar nesse universo."

Depois que estiver capitalizada, a Foxbit já tem seu plano estratégico traçado. A intenção é ampliar o ecossistema de investimentos para que seus clientes possam investir em outros ativos – os tradicionais, nesse caso, como ações e renda fixa.

A ideia é que o investidor que vendeu bitcoins – e que pode ter feito muito dinheiro – não precise sair da plataforma para diversificar suas aplicações.

Inicialmente, a Foxbit deve fechar uma parceria com uma corretora – e depois, avaliando os resultados, pensará se valerá a pena ser sua própria corretora de valores mobiliários.
As informações são do jornal <b>O Estado de S. Paulo.</b>