Cidades

Greve dos servidores da Saúde tem pequena adesão

Cerca de 20 funcionários do Padre Bento se mobilizaram por melhorias salariais e benefícios

Um pequeno grupo de cerca de 20 servidores do Complexo Hospitalar Padre Bento, no Gopouva, aderiu à greve dos servidores da saúde nesta quinta-feira, promovida pelo Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde no Estado de São Paulo (SindSaúde).

Os funcionários do Hospital Geral de Guarulhos (HGG), cuja gestão é terceirizada, não paralisaram os trabalhos.

O presidente do SindSaúde, Benedito Augusto de Oliveira, diz que quase todos os hospitais do Estado aderiram a paralisação, com destaque para o Hospital das Clínicas com cerca de 700 servidores. Ele afirma que a categoria pode decidir em assembleia amanhã uma greve geral por tempo indeterminado se não houver acordo com a Secretaria de Estado da Saúde.

O sindicato reivindica reajuste salarial de 26% aos servidores, plano de cargos e carreiras e aumento do vale-alimentação de R$ 4 para R$ 26. "O Governo prometeu nos receber para reunião na sexta-feira. Não tememos represálias, porque não pode acontecer nada pior do que a proposta que fizeram de reajuste salarial de 1,5%", afirma.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informa que não houve paralisação do atendimento aos pacientes do Padre Bento na quarta-feira. A pasta afirma que vem dialogando com o SindSaúde neste ano para buscar um entendimento em relação à pauta de reivindicações da categoria.

A Secretaria informa, ainda, que está em estudo um aumento de 80% sobre o valor do vale-alimentação para os funcionários da saúde.

A secretaria destaca ainda que está em fase final de estudos para implantação de um plano de cargos e carreiras, revisão dos cargos e remunerações, além de aumento de 80% do vale-alimentação dos funcionários.