Cidades

Guarulhos registra mais de mil ocorrências de pipas na rede elétrica em 2021

EDP, distribuidora de energia elétrica Guarulhos registrou grande volume de ocorrências com pipas na rede elétrica durante todo o primeiro semestre, e isso tende a aumentar no mês de julho, período de recesso escolar. Entre janeiro e junho foram atendidos 1.198 casos desta natureza na cidade, média de seis casos por dia. Importante destacar que o contato das pipas com a rede elétrica pode causar acidentes graves, além da interrupção do fornecimento de energia para a região.

A energia elétrica se tornou ainda mais essencial neste contexto de pandemia da COVID-19 e o impacto da interrupção do fornecimento ficou mais preocupante, seja para residências, hospitais, centros médicos, locais de armazenamento e aplicação de vacinas ou unidades de serviço essencial.  Por isso, a EDP reforça o alerta sobre os riscos da soltura de pipa próxima das redes elétricas.

Além de afetar o fornecimento de energia, esta atividade se feita próxima ao sistema elétrico traz outra grande preocupação: o risco de graves acidentes. As linhas de pipas com cerol ou produtos cortantes causam desligamentos ao romper os cabos de energia e, também, podem provocar curtos-circuitos, ao ficarem presas na fiação e serem puxadas.  “Um curto-circuito ocasionado por pipas na rede elétrica pode provocar desde danos materiais, até queimaduras, amputação de membros ou levar ao óbito. As pessoas nunca devem intervir na rede elétrica. A EDP deve ser acionada imediatamente e equipes técnicas são deslocadas para fazer a limpeza da fiação, reparar os equipamentos danificados e restabelecer o fornecimento de energia” ressalta Afonso Celso, gestor de operação da EDP.

Com o isolamento social, o ideal é que as crianças façam brincadeiras dentro de casa, mas caso optem pela pipa, é muito importante que a atividade seja feita de forma segura, longe da rede elétrica. “Sempre trabalhamos para restabelecer o fornecimento de energia o mais rápido possível, mas nossa preocupação maior é com a segurança. Para a soltura de pipas o recomendado é buscar espaços abertos, como parques e campos onde não exista o risco de contato com os fios de energia”, finaliza Afonso.

  Orientações para empinar pipas de forma segura

 

  •  Além de serem proibidos, o cerol e a chamada “linha chilena” trazem risco para quem está empinando a pipa e também para terceiros, como motociclistas e pedestres, além de oferecem perigo no contato com a rede de energia. Ao cortar a camada protetora da fiação, a linha interrompe a transferência de corrente elétrica, podendo provocar curto-circuito;

  • Em período de isolamento social, é recomendável priorizar brincadeiras em que não seja necessário sair de casa. Caso decida empinar pipas, evite locais como lajes e muros, já que a proximidade com os fios de alta tensão aumenta o risco de acidentes graves e fatais, além do perigo de quedas;

  • Empine pipas longe de rede elétrica, em locais onde não exista nenhum tipo de cabo de energia, de serviço telefônico ou antenas de celular. Isso evita acidentes e interferências na qualidade desses serviços;

Ø  Se a pipa ficar presa nos fios elétricos, não tente retirá-la. Nunca use varas nem suba no poste para tirar uma pipa. O choque, nestes casos, pode ser fatal. Somente técnicos da distribuidora, treinados para este trabalho, que exige o uso de equipamentos de segurança, estão aptos a manusear a rede.

Ø  Arremessar objetos na rede elétrica para o resgate da pipa pode causar graves acidentes. O “lança-gato” (pedra presa a uma linha), ou qualquer outro objeto, não devem ser lançados na rede;