Início » Honda Civic EX entrega quase tudo que se espera de um sedã deste porte
Carro GWeb TV

Honda Civic EX entrega quase tudo que se espera de um sedã deste porte

Ernesto Zanon – Do Carro Express / Imagens e Edição: Danilo Sanches

O Honda Civic é um dos veículos com mais longa história na indústria nacional. Lançado por aqui ainda na década de 90, resiste ao tempo a partir de renovações, que o tornaram cada vez mais atraente, mantendo a velha mística de ser um automóvel de bom padrão, extremamente confiável e ótimo valor de revenda. Prestes a mudar de novo e sem perspectivas de continuar a ser produzido no Brasil, a versão 2021 é ainda uma das mais belas e arrojadas já apresentadas pelo fabricante japonês. O design, por muitos, apesar de ser vanguardista demais, jogou contra, já que afastou um público bastante cativo, que tem característica mais conservadora.

Desta vez, o Carro Express /GuarulhosWeb avaliou durante uma semana a versão EX, uma abaixo da top de linha oferecida com motorização 2.0 i-VTEC FlexOne, ainda da geração antiga e câmbio CVT. Tem o Touring com motor 1.5 turbo, que entra em outro patamar. Trata-se de um sedã médio, com porte de grande, que é executivo e despojado. O visual, vale repetir, se coloca à frente do nosso tempo. Por isso, faz com que muita gente torça o nariz.

A versão EX, um pouco abaixo da EXL, sai por R$ 130 mil. É um carro recheado de equipamentos, muito bem acabado, com ótimo nível de conforto e segurança. Mantém um quadro de instrumentos convencional, mas com display TFT e instrumentação análogo-digital. O volante tem um aspecto esportivo e botões sensíveis ao movimento dos dedos. O display central multimídia tem tela de 8 polegadas, com Android Auto e Car Play, além de navegador GPS e câmera de ré. O ar condicional é digital. Nesta versão não é dual zone, disponível apenas na top EXL, que custa cerca de R$ 7 mil a mais

Entre os bancos, o console elevado com elemento vazado apresenta a mesma solução de outros carros da marca, como o SUV HR-V. Tem freio de estacionamento eletrônico, Auto Hold (que mantém os freios acionados com o carro parado e engatado) e o modo Econ, que reduz os dispositivos em uso para economizar combustível.

O espaço para motorista e mais quatro ocupantes é dos melhores. Quem vai no banco de trás, tem bastante conforto, inclusive pelas saídas traseiras de ar condicionado disponíveis. Para completar e facilitar a vida de todos, o Civic EX tem sensor de estacionamento traseiro, áudio com oito alto-falantes, retrovisor interno fotocrômico, revestimento dos bancos em couro, controle de volume do sistema do som pela velocidade, espelho nos para-sois com iluminação, faróis com acendimento automático e porta-luvas com iluminação.

No desempenho, o Civic EX agrada nos mais diferentes sentidos. O motor 2.0 vai muito bem nas mais diferentes condições. Oferece 150 cavalos de potência quando abastecido com gasolina e 155 cv com etanol. Durante a avaliação, com gasolina no tanque, ótimas impressões, principalmente pela velha tabelinha entre o motor Honda e o sempre eficiente câmbio CVT. Suavidade quando necessário e reações rápidas, no pé, na hora que precisa avançar de forma mais rápida.

Boas notícias também no consumo de combustível. O computador de bordo acusou média próxima aos 10 km/l de gasolina no trânsito urbano e acima dos 12 km/ na estrada. Nada mal para um carro de bom porte e desempenho que não deixa a desejar.