Estadão

IPC-Fipe sobe 1,44% em agosto e inflação acumulada em 2021 chega a 6,06%

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na cidade de São Paulo, subiu 1,44% em agosto, acelerando frente ao ganho de 1,02% verificado em julho e também em relação à alta de 1,40% registrada na terceira quadrissemana do mês passado, segundo dados publicados nesta quinta-feira, 2, pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

O resultado de agosto ficou dentro das estimativas de oito instituições de mercado consultadas pelo <i>Projeções Broadcast</i>, que iam de alta de 1,37% a 1,68%, e um pouco acima da mediana, de 1,42%.

Entre janeiro e agosto, o IPC-Fipe acumulou inflação de 6,06%. Nos 12 meses até agosto, a alta acumulada foi de 10,51%.

No último mês, quatro dos sete componentes do IPC-Fipe subiram com mais força: Habitação (de 1,28% em julho para 1,50% em agosto), Alimentação (de 1,52% para 2,29%), Transportes (de 0,79% para 1,25%) e Despesas Pessoais (de 0,69% para 1,61%).

Por outro lado, houve desaceleração dos itens Vestuário (de 0,38% em julho para 0,11% em agosto) e Educação (de 0,20% para 0,04%). Saúde, por sua vez, migrou para deflação (de 0,18% para -0,04%) de um mês para o outro.

Veja abaixo como ficaram os componentes do IPC-Fipe no mês de agosto:

<b>- Habitação: 1,50%

– Alimentação: 2,29%

– Transportes: 1,25%

– Despesas Pessoais: 1,61%

– Saúde: -0,04%

– Vestuário: 0,11%

– Educação: 0,04%

– Índice Geral: 1,44%</b>