Estadão

Irã busca maneiras criativas de retomar acordo nuclear após demanda russa, diz autoridade

Irã está buscando "maneiras criativas" de restaurar seu acordo nuclear com potências mundiais depois que o ministro das Relações Exteriores da Rússia vinculou sanções a Moscou por sua guerra à Ucrânia às negociações em andamento, disse uma importante autoridade iraniana.

O tweet do secretário do poderoso Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irã, Ali Shamkhani, oferece o primeiro reconhecimento de alto nível das demandas do ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov.

"Os participantes de Viena onde ocorrem as negociações agem e reagem com base em interesses e é compreensível", escreveu Shamkhani. "Nossas interações também são motivadas exclusivamente pelos interesses de nosso povo. Assim, estamos avaliando novos elementos que influenciam as negociações e, portanto, buscaremos maneiras criativas de agilizar uma solução."

Nos últimos dias, negociadores de todos os lados em Viena sinalizaram que um possível acordo estava próximo, uma vez que o chefe do órgão de vigilância nuclear ds Nações Unidas entrou em acordo com o Irã sobre um cronograma para responder às perguntas de longa data do órgão de vigilância sobre o programa de Teerã.

Porém, no sábado, Lavrov disse que queria "garantias pelo menos no nível do secretário de Estado" de que as sanções impostas pelos Estados Unidos não afetariam o relacionamento de Moscou com Teerã. Isso colocou em questão os meses de negociações realizadas até agora para restaurar o acordo nuclear de 2015, no qual o Irã concordou em limitar drasticamente seu enriquecimento de urânio em troca do levantamento das sanções econômicas.

Já no domingo, o secretário de Estado americano, Antony Blinken, chamou a demanda de Lavrov de "irrelevante", uma vez que o acordo nuclear e as sanções a Moscou sobre a guerra na Ucrânia eram "totalmente diferentes". "Sair do acordo em 2018 foi um dos piores erros cometidos nos últimos anos. Isso permitiu que todo o programa nuclear iraniano que colocamos em uma caixa ficasse totalmente fora desta", disse Blinken à <i>CBS</i>. "Assim, se há algum modo de retomar efetivamente o acordo, é nosso interesse fazê-lo e estamos trabalhando nisso enquanto falamos. Também é do interesse da Rússia".

De Teerã, nesta segunda-feira, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Saeed Khatibzadeh, disse que a "cooperação nuclear pacífica" entre China, Irã e Rússia não deve ser limitada por sanções. China e Rússia fazem parte do acordo, que também inclui Alemanha, Grã-Bretanha e França. Os EUA ficaram de fora das negociações desde sua retirada. "Até agora, a Rússia mostrou uma abordagem construtiva para chegar a um acordo coletivo em Viena e interpretamos o que eles dizem neste quadro", disse ele. "Vamos esperar que eles nos deem mais detalhes em Viena.".