Cidades

Obras para o tratamento de esgoto irão beneficiar a Vila Galvão já neste semestre

Uma série de obras de coletores de esgoto irá promover a melhoria da qualidade de vida aos moradores da Vila Galvão e de bairros adjacentes até o fim deste primeiro semestre. As intervenções, com 6 km de extensão e realizadas pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), permitirão a despoluição do córrego Zapara, um afluente do rio Cabuçu, cujos rejeitos coletados serão destinados à Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Parque Novo Mundo, na Capital.

Com um investimento de R$ 15 milhões, a obra impactará na vida dos moradores dos bairros Parque Santo Antônio, Jardim Eusônia, Jardim Nova Ipanema e da própria Vila Galvão. Cerca de 44 mil pessoas serão beneficiadas diretamente com o tratamento, além de outras milhares que moram entre os bairros Tucuruvi e Tietê, em São Paulo, que poderão observar melhoria no aspecto e no odor do rio Cabuçu. Ao final, a obra contribuirá para despoluir o rio Tietê.

A ação da Sabesp na Vila Galvão é mais uma etapa para universalizar o tratamento de esgoto em Guarulhos. Até o final deste ano a previsão é que 40% dos dejetos produzidos na cidade sejam tratados e, ao final da atual gestão municipal, em 2024, 70%. “É sempre importante frisar que quando assumimos a administração, em 2017, Guarulhos tratava apenas 2% do esgoto que produzia. O avanço nessa área nos últimos anos é inegável”, comentou o prefeito Guti.

Os coletores-tronco da região da Vila Galvão, quando prontos, encaminharão 50 litros por segundo de esgoto à ETE Parque Novo Mundo. Isso representa pouco mais de 1,5 bilhão de litros de dejetos tratados por ano apenas daquele bairro. Além disso, metade das intervenções por ali é realizada pelo método não destrutivo, por meio do qual não é preciso abrir grandes valas nas vias públicas – somente duas pequenas aberturas no solo, no início e no final de onde serão colocados os coletores, são necessárias.

Apenas as obras na Vila Galvão serão responsáveis por tratar 2,81% de todo o esgoto produzido no município. O benefício, contudo, não se restringe ao mero tratamento. Algumas residências da região terão agora coleta de esgoto, fundamental para a saúde pública. Além disso, os rejeitos que antes tinham como destino a galeria de águas pluviais passarão a circular apenas pelos coletores-tronco. “Isso irá diminuir a quantidade de vazamentos de esgoto pela cidade”, explica Valdemir Viana de Freitas, gerente da Sabesp em Guarulhos.

Outras intervenções

Além das obras na Vila Galvão, a Sabesp promove diversas outras intervenções pela cidade para universalizar o tratamento de esgoto. Ainda em 2022 cerca de R$ 70 milhões serão investidos pela companhia em Guarulhos apenas em coletores-tronco em locais como a avenida Natália Zarif e nos bairros Jardim Jade, Lavras e Parque Residencial Bambi que, somados, atenderão 27,1 mil pessoas e tratarão 1,78% dos dejetos do município.

Todos os coletores citados já estão com obras em andamento. Contudo, há outros que começarão a ser construídos também em 2022 e que irão promover uma melhora considerável nos índices de saneamento básico de Guarulhos. Serão outros seis coletores-tronco que, juntos, responderão pelo tratamento de 14,93% do esgoto da cidade, o que representará 230 mil pessoas atendidas.