Estadão

Otan vê invasão como ameaça mais grave à segurança euro-atlântica em décadas

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) divulgou nesta sexta-feira, 25, um comunicado, após reunião com lideranças de países membros da Aliança, além de Suécia, Finlândia e União Europeia (UE), que tratou da ofensiva militar da Rússia sobre a Ucrânia. Segundo a entidade, a agressão de Moscou é a mais grave ameaça à segurança da região euro-atlântica em décadas.

"A paz no continente europeu foi fundamentalmente abalada", disse a Otan, que afirmou estar reforçando "significativamente" suas defesas na sua fronteira leste para se proteger de possíveis agressões a membros da Aliança militar.

Em resposta, "a Rússia pagará um preço político e econômico severo por anos a fio", segundo a Otan, que destacou as já divulgadas sanções de nações que se contrapõem à ação do governo de Vladimir Putin. "A Rússia tem total responsabilidade por este conflito. Rejeitou o caminho da diplomacia e do diálogo repetidamente oferecido pela Otan e pelos Aliados", ressaltou.

A Otan ainda reforçou seu compromisso em manter ajuda "política e prática" à Ucrânia em meio ao conflito.