Início » Perguntas e respostas sobre reabilitação oral
Palanque

Perguntas e respostas sobre reabilitação oral

Nos últimos anos é possível notar como o implante dentário tem sido cada vez mais procurado por quem quer recuperar a saúde bucal e a autoestima

Com isso surgem diversas dúvidas sobre o procedimento: o que se obtêm com a reabilitação oral, quais as técnicas mais aplicadas e qual é a importância do planejamento. Confira abaixo as respostas.


 


O que é possível alcançar por meio da Reabilitação Oral?


Através da Reabilitação Oral é possível resolver todos os problemas mastigatórios, incluindo problemas de oclusão que originam distúrbios de ATM e dores faciais, além de solucionar questões estéticas. Assim sendo, o paciente ganha qualidade de vida e auto-estima.


 


Quais as técnicas de implante mais utilizadas?


Desde o início do desenvolvimento das técnicas de implante houve vários procedimentos, entre eles os implantes agulhados e os implantes subperiostal. Hoje em dia a mais utilizada é a dos implantes ósseointegrados (preconizado pelo método Brenemark), que começou a ser empregada na década de 60, atingindo aceitabilidade universal há alguns anos.


 


Nessa técnica são utilizados parafusos de titânio, colocados em áreas desdentadas e que apresentam capacidade de exercer as funções mastigatórias e funcionais de maneira semelhante a dos dentes naturais. O titânio tem propriedade de permitir que o osso cresça, fazendo uma justaposição ao longo do implante proporcionando, assim, a fixação do mesmo.


 


Qual a importância do planejamento para o implante dentário?


O planejamento é a parte principal do tratamento para se atingir a satisfação, ou seja, visa identificar as ausências dentárias, qual é a situação atual de oclusão e da mastigação do paciente, procurando visualizar quais são os problemas crônicos e as dificuldades que essa pessoa vem sofrendo.


 


A partir daí o profissional traça um planejamento que visa proteger os dentes remanescentes através da reposição dos dentes ausentes com a inserção de implantes dentários, devolvendo equilíbrio mastigatório e de oclusão, restaurando o conforto, a segurança e, por fim, restabelecendo a estética do sorriso e a satisfação do paciente.


 


Na maioria dos casos esse planejamento permite mais de um caminho para execução de um tratamento, sendo fundamental que o paciente seja orientado e receba explicações sobre os prós e contras de cada alternativa. Deste modo, o paciente pode acompanhar a evolução do tratamento e obter um resultado satisfatório. 


 


Quais são os cuidados no pós-operatório?


O pós-operatório de todo procedimento médico ou odontológico é, sem dúvida, um momento importante. Mesmo com a cirurgia de implante – que está desmistificada e é muito simples e segura – são necessários cuidados, sendo que parte deles serão iniciados no pré-operatório, com o início de uso de medicação antibiótica e antiinflamatória profilática, controle de diabetes e outras orientações que podem variar dependendo da condição clínica do paciente. Por exemplo, fumantes devem ser orientados, pois o uso de cigarro ocasiona perda de implantes.  


 


Como é efetuada a preservação dos implantes e qual é a durabilidade?


Pode haver comprometimento ou mesmo perda do implante se os cuidados de higiene e manutenção orientados pelo especialista não forem seguidos. A manutenção consiste num conjunto de técnicas e meios a serem empregados para manter a saúde dos tecidos gengivais e aumentar a longevidade dos implantes.


 


Quanto a durabilidade, pode se afirmar que em 95% dos casos, se os implantes não forem perdidos nos dois primeiros anos de uso, durarão por grande parte da vida do paciente.


 


Jorge Iarossi é cirurgião dentista e diretor da Iarossi Saúde Odontológica e da Odontologia Personnalité, ambas em Guarulhos, na Grande São Paulo