Estadão

Rapaz que posou ainda bebê na capa de Nevermind processa Nirvana

Trinta anos após o lançamento do icônico álbum <i>Nevermind</i>, a banda Nirvana é processada pelo bebê que aparece na capa do disco. Spencer Elden tinha quatro meses de vida quando ilustrou a capa do disco e alega que sofreu exploração sexual infantil. No trabalho do grupo, lançado em 1991, a criança aparece nua, com a genitália a mostra, mergulhando em uma piscina, ao lado de uma nota de dólar.

De acordo com informações da rede <i>NBC</i> e do jornal <i>The Guardian</i>, o processo, aberto na Califórnia, Estados Unidos, nesta terça-feira, 24, inclui Courtney Love, viúva de Kurt Cobain, e 15 réus, entre produtores, a gravadora que distribuiu o disco nos últimos anos e integrantes da banda.

Os advogados de Spencer Elden relatam no processo que ele sofreu sérios "danos emocionais extremos e permanentes com manifestações físicas até os dias de hoje". No documento, a defesa também associa o caso à pornografia infantil, na medida em que relaciona a nudez do garotinho ao pagamento em dinheiro: "um trabalhador do sexo – agarrando-se por uma nota de um dólar", disse o advogado Robert Y. Lewis.

"Os réus comercializaram intencionalmente a pornografia infantil de Spencer e alavancaram a natureza chocante de sua imagem para se promoverem às suas custas", diz um trecho do processo obtido pela revista <i>Variety</i>. Spencer Elden pede pelo menos US$ 150 mil de cada um dos 15 citados na denúncia, segundo a <i>NBC</i>.