Estadão

Secretário-geral da ONU evita definir se Rússia comete genocídio na Ucrânia

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, se disse preocupado com possíveis violações de direitos humanos na Ucrânia, mas evitou definir se o cenário causado pela ofensiva russa no país pode ser caracterizado como "genocídio".

Os comentários acontecem um dia após o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, chamar o presidente da Rússia, Vladimir Putin, de "ditador" e acusá-lo de cometer genocídio em território ucraniano.

Durante coletiva de imprensa hoje, Guterres explicou que a ONU utiliza critérios legais para definir cenários como esse. Segundo ele, já há uma investigação da Corte Criminal Internacional sobre as ações russas. "Deixamos a definição sobre se há ou não uma situação de genocídio para os órgãos judiciais relevantes nesse sentido", disse.