Estadão

SP teve 72% dos municípios sem registros de óbito por covid-19 na última semana

Com o avanço da vacinação contra a covid-19, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), divulgou, nesta quarta-feira (6), que 467 municípios, ou 72% do total do Estado, não registraram óbitos causados pela doença na última semana. Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, Doria afirmou que o Estado atingiu a marca de 60% da população paulista com o esquema vacinal completo. A porcentagem representa cerca de 27,5 milhões de pessoas.

Além da aplicação das doses, o Estado reforçou, na segunda-feira, dia 4, a importância da vacina de esforço com o início da imunização dos profissionais de saúde de 60 a 69 anos. O público-alvo abrange as pessoas que tomaram as doses há pelo menos seis meses. De acordo com a coordenadora de Controle de doenças da Secretaria do Estado de São Paulo, Regiane de Paula, a adesão dos profissionais de saúde está ocorrendo de forma homogênea.

<b>Calendário de vacinação</b>

O governador anunciou novas datas do calendário da dose de reforço contra a covid-19 para os vacinados em abril. A partir de segunda-feira, 11 de outubro, a aplicação será voltada a idosos de 80 anos ou mais, exclusivamente para quem completou o esquema vacinal há pelo menos seis meses.

Na sequência, de 18 a 24 de outubro, a campanha será ampliada para o público de 75 a 79 anos. Já, de 25 a 31 do mesmo mês, será a vez de quem tem de 70 a 74 anos. Em novembro, por sua vez, o foco estará nos idosos de 60 a 69 anos do dia 1º a 7. Em paralelo, também ocorre a vacinação de reforço para profissionais de saúde. A aplicação é voltada exclusivamente para quem tomou a segunda dose há seis meses ou mais.

Reiterando o incentivo à população para aderir à terceira aplicação, a gestão estadual aproveitou a cerimônia com a imprensa para vacinar com a dose de reforço a enfermeira Mônica Calazans. Ela foi a primeira brasileira vacinada com a vacina do Butantan contra a covid-19 no País, em 17 de janeiro passado.

Após a enfermeira, o secretário estadual de Saúde de São Paulo, Jean Carlo Gorinchteyn, também recebeu a terceira dose, aplicada pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

O governo convidou dois médicos do Hospital Emílio Ribas para defenderem o uso da Coronavac na campanha de reforço, o que foi criticado por parte dos especialistas, diante de estudos indicativos de que tenha eficácia menor do que outras nos idosos (embora seja importante na imunização no restante da população).

<b>Números</b>

O Estado de São Paulo tem 4.373.508 casos e 150.229 óbitos confirmados por novo coronavírus. Calculada a partir dos dados dos últimos sete dias, a média móvel foi de 549 novas internações por dia na terça-feira, 5. Ela está em estabilização na última semana, após queda ao longo de quase quatro meses.

Já a média móvel de mortes foi de 121,2 na terça-feira, também com tendência de estabilização após queda iniciada em junho. A taxa ainda está acima da registrada entre meados de outubro e novembro do ano passado, mas segue abaixo do pico deste ano (que chegou a 890 mortes diárias em abril).