Cidades

Testes de Covid-19 e Influenza desaparecem de farmácias de Guarulhos e SP

Os guarulhenses com sintomas gripais estão com dificuldades para encontrar testes para detecção de doenças respiratórias, como a Covid-19 ou a Influenza, na rede privada, como farmácias e em planos de saúde.  O GuarulhosWeb pesquisou alguns estabelecimentos da cidade e recebeu como resposta que testes para detectar o coronavírus devem ser realizados em São Paulo, enquanto o do H2N3 está em falta também na capital. Mesmo assim, o agendamento acontece de 3 a 5 dias.

Na rede pública, as UBS realizam teste de detecção de Covid-19 em pacientes que apresentam algum sintoma. Já de Influenza é realizado em pacientes mais graves em unidades hospitalares.

O retorno das férias e viagens de final de ano podem agravar ainda mais o quadro de atendimento médico tanto em unidades públicas como em hospitais privados, já saturados com a onda crescente de casos de Influenza desde o início de dezembro, agravados pela chegada da ômicron ao Brasil, que devem causar novo crescimento da Covid-19 no Brasil.

Neste mês de dezembro, até o último dia 24, a cidade já havia registrado 11.512 casos de síndromes gripais, não necessariamente a H3N2. Em todo ano de 2021 foram totalizados 154.580 casos, uma média de 12.881 por mês. O que surpreendeu as autoridades sanitárias foi que esse surto que atingiu o Brasil se deu em um período em que os casos gripais são menos intensos devido às altas temperaturas e umidade do ar.

Em dezembro, a procura por testes de covid-19 em farmácias em todo o Brasil teve aumento de 44% em um intervalo de duas semanas. A informação é da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma). A alta na testagem coincide com o surto de gripe provocado pelo vírus da influenza.

Entre 13 e 19 de dezembro, foram 137.618 atendimentos, que representam 9% a mais do que o verificado entre 6 e 12 do mesmo mês. Em relação ao intervalo de 29 de novembro a 5 de dezembro, no entanto, o aumento chega a 44%. A média de testagem em farmácias, segundo a associação, estava em queda desde junho, mas voltou a crescer nos últimos dois meses.

Ainda não há números consolidados da última semana de 2021 e primeira de 2022.