Estadão

Tite mantém indefinição sobre goleiro e ataque da seleção brasileira

Após dois jogos de mata-mata da seleção brasileira na Copa América, Tite mantém a indefinição sobre quem são os titulares de alguns setores do time. A formação do ataque e o goleiro parecem ser as dúvidas do treinador, que admitiu usar a competição como teste para as Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2022, maior objetivo do treinador.

No gol, Ederson, Alisson e Weverton sonham com a vaga de titular no Mundial do próximo ano. O goleiro do Liverpool começou como titular nesta Copa América, mas o jogador do Manchester City e o do Palmeiras ganharam uma chance cada na fase de grupos. Ederson, contudo, despontou como titular nos dois jogos de mata-mata, na sexta e na segunda.

Apesar da rara sequência de dois jogos como titular, Tite nega que o jogador do City tenha conquistado a titularidade. "Temos três grandes e extraordinários goleiros. Ninguém é melhor do que ninguém. Talvez o momento possa ser determinante para a escolha, aí tem o Taffarel e o Marquinhos, que são importantes nesse preparo. Estamos tranquilos em relação a isso", diz o treinador, referindo-se ao preparador de goleiros e seu auxiliar.

No ataque, a situação fica mais embolada. E não somente por causa do maior número de opções e formações, ora com Neymar mais recuado, quase como meia, ora com o jogador do Paris Saint-Germain mais avançado, compondo o trio ofensivo.

Se a intenção de Tite era repetir a formação da equipe nas quartas de final e na semifinal, a expulsão de Gabriel Jesus na sexta-feira acabou com seus planos. Assim, precisou mudar o trio, que teve ainda Roberto Firmino e Richarlison contra o Chile, pelas quartas de final. Neymar jogou atrás dos três.

Na semifinal, contra o Peru, Tite escalou Everton Cebolinha, Richarlison e Neymar. Outras opções são Gabriel Barbosa, titular em um dos seis jogos já disputados nesta Copa América, Vinicius Junior, e até Everton Ribeiro, atuando mais avançado do que costuma fazer no Flamengo.

Gabriel Jesus e Richarlison parecem ainda ter a preferência de Tite para compor o setor com Neymar, tendo agora Lucas Paquetá, autor dos gols da vitória sobre Chile e Peru, logo atrás. O jogador do Lyon é o que mais vem aproveitando as chances dadas pelo treinador na competição.

Na defesa, o quarteto formado pelos laterais Danilo e Renan Lodi e pelos zagueiros Marquinhos e Thiago Silva devem estar garantidos para a final da Copa América. E saem em vantagem diante dos demais na briga por uma vaga na Copa do Mundo. E Casemiro e Fred devem ser os volantes que vão garantir os avanços de Paquetá ao ataque na decisão.

Mas novas surpresas na escalação não estão descartadas. Afinal, Tite terá quatro dias para novos testes nos treinos até a final, marcada para as 21 horas de sábado, novamente no Rio de Janeiro, desta vez no Maracanã. O adversário vai sair do confronto entre Argentina e Colômbia, marcado para esta terça-feira.