Estadão

Tsitsipas bate espanhol e se sagra bicampeão do Masters de Montecarlo

O tenista grego Stefanos Tsitsipas se sagrou bicampeão do Masters 1000 de Montecarlo, em Mônaco, neste domingo. Campeão também no ano passado, ele superou na final o espanhol Alejandro Davidovich Fokina, grande surpresa do primeiro grande torneio de saibro no ano, por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 7/6 (7/3), em 1h34min de duelo.

Tsitsipas se tornou o sexto tenista da história a vencer dois títulos consecutivos em Montecarlo. O último a obter tal feito foi o espanhol Rafael Nadal, campeão entre 2016 e 2018 – ele soma ainda mais oito troféus no tradicional saibro de Mônaco. O espanhol Juan Carlos Ferrero (2002-03), o austríaco Thomas Muster (1995-96), o sueco Bjorn Borg (1979-1980) e o romeno Ilie Nastase (1971-1973) também foram campeões em anos seguidos.

"É uma grande sensação porque neste ano podemos ter o público nas arquibancadas. Então, a comemoração parece mais viva em comparação ao ano passado", comentou o grego, que foi campeão diante das arquibancadas vazias na edição de 2021 por conta da pandemia de covid-19.

Favorito, o grego de 23 anos saiu atrás no placar no set inicial, ao sofrer uma quebra de saque logo no início. No entanto, reagiu rapidamente para virar o placar e levar o primeiro set. No segundo, a situação se inverteu. Porém, o espanhol reagiu. Quando liderava o placar por 5/4, Tsitsipas desperdiçou a chance de fechar o jogo sem precisar disputar o tie-break, mas não teve sucesso.

"Estou muito orgulhoso de mim mesmo. As coisas não saíram tão bem quanto eu queria em determinado momento do jogo, mas eu consegui me recuperar", comentou o atual número cinco do mundo e vice-campeão de Roland Garros na temporada passada.

Apesar do vice-campeonato, Fokina deixa Montecarlo com outro status. O tenista de 22 anos foi a grande surpresa do torneio ao eliminar o sérvio Novak Djokovic logo na estreia do número 1 do mundo. Na sequência, o tenista de 22 anos despachou o americano Taylor Fritz, campeão em Indian Wells no mês passado, e o experiente búlgaro Grigor Dimitrov na semifinal.

Atual 46º do mundo, o tenista da Espanha vai saltar para o 27º posto do ranking da ATP, na atualização desta segunda-feira.