Início » União Química protocola pedido para produzir vacina russa contra Covid-19 em Guarulhos e Brasília
Cidades

União Química protocola pedido para produzir vacina russa contra Covid-19 em Guarulhos e Brasília

Unidade da empresa em Guarulhos deve ficar responsável pelo envasamento e distribuição das vacinas

 A União Química e o Fundo de Investimentos Diretos da Rússia (RDIF) informaram nesta sexta-feira (15/1) que protocolaram o pedido emergencial junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para a utilização de 10 milhões de doses do imunizante Sputinik V no Brasil. A unidade da empresa em Guarulhos, a Inovat, localizada na avenida Tancredo Neves, ficará responsável pelo processo de envasamento e distribuição das vacinas.  

Em nota, a farmacêutica reiterou que, “conforme entendimentos com o RDIF nesta semana em Moscou (Rússia), serão disponibilizadas para o Brasil, ainda no primeiro trimestre de 2021, 10 milhões de doses da vacina Sputnik V, objeto do referido pedido de uso temporário emergencial do imunizante”. 

Segundo a empresa, o imunizante amplamente utilizado e aprovado por vários países no mundo, será produzido nas fábricas de Brasilia e de Guarulhos, através de acordo de transferência de tecnologia firmado entre a companhia e o RDIF. 

 “A União Química entende que com o avanço da pandemia no Brasil e no mundo, todos os esforços, seja do setor público ou do setor privado, deverão ser empenhados de forma a combater a pandemia da covid -19, inclusive com ações extraordinárias e excepcionais em razão da urgência e relevância que o momento exige”, diz um trecho da nota. 

Produção 

A produção industrial da vacina russa teve início nesta sexta-feira em Brasília. Apesar da produção local, inicialmente, as doses serão exportadas para países que já registraram o imunizante, como Argentina e Bolívia. Para a distribuição e uso em território nacional, é necessário que a empresa tenha autorização da Anvisa, que recebeu o pedido de realização de testes em 29 de dezembro.