Cidades

Unidade de recuperação da água tratará 30% do esgoto produzido em Guarulhos

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) instalará até o final do ano que vem uma Unidade de Recuperação da Qualidade (URQ) da água do rio Tietê em um córrego na Ponte Grande que deságua naquele curso. Quando estiver totalmente em operação, ao final de 2022, somente esta URQ será responsável pelo tratamento de 30% de todo o esgoto produzido na cidade.

A URQ irá retirar até 90% das impurezas do esgoto, o que, na prática, significa que a água já terá condições de suportar vida. Trata-se de um investimento de R$ 68,5 milhões. Os dejetos a serem limpos pela URQ provêm em sua maioria das residências da região central de Guarulhos, local de complexidade maior na realização de obras devido à densidade populacional. Como consequência, a qualidade da água do Tietê irá aumentar substancialmente.

“Esta é uma unidade de fundamental importância para que Guarulhos atinja a universalização do tratamento de esgoto, haja vista que, somente ela, será responsável por tratar quase um terço do que é produzido na cidade”, comentou o prefeito Guti.

A URQ terá capacidade para tratar 1.000 litros por segundo (L/s), com previsão de tratar 670 L/s provenientes da região central de Guarulhos, o que representa uma população de 600 mil pessoas atendidas. Para se ter uma ideia, a Estação de Tratamento de Água (ETA) Cabuçu, por exemplo, produz 250 L/s, o que significa que a URQ terá uma capacidade quatro vezes superior.

A unidade irá remover 7 mil toneladas de esgoto por ano. A URQ é mais uma iniciativa para que Guarulhos cumpra o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado com o Ministério Público do Estado, em maio de 2018, que prevê o tratamento de todo esgoto produzido na cidade até 2026. O TAC anterior, firmado entre 2007 e 2009, não foi cumprido devido à falta de investimentos.