Estadão

Bolsas da Europa fecham sem sinal único, com dados no radar e à espera de Fed e BoE

As bolsas da Europa fecharam mistas nesta quarta-feira. Investidores monitoraram dados positivos do Reino Unido e zona do euro, além de balanços corporativos. Também aguardam as decisões de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central americano) e do Banco da Inglaterra (BoE), e absorvem avaliações da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde.

O índice Stoxx 600, que reúne as principais ações do continente, encerrou a sessão em alta de 0,35%, a 481,22 pontos.

Em Londres, o FTSE100 caiu 0,36%, a 7.248,89 pontos. A principal queda foi da Darkplace, empresa de segurança cibernética. "As ações do Darktrace continuaram a cair com o período de bloqueio após a abertura de capital finalmente expirando hoje", diz Michael Hewson, analista da CMC Markets.

A queda no petróleo também influenciou papéis do índice londrino. As ações da BP e da Royal Dutch Shell recuaram 2,39% e 1,81%, respectivamente.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) de serviços do Reino Unido subiu para 59,1 em outubro, no maior nível desde julho, segundo a IHS Markit e CIPS. Apesar de ficar bem acima dos dados preliminares, o dado não foi suficiente para garantir desempenho positivo do FTSE100.

Já em Frankfurt, o DAX fechou em leve alta, de 0,03%, a 15.959,98 pontos. Na bolsa alemã, a ação da Lufthansa saltou 6,44% após a companhia informar que reduziu prejuízo no terceiro trimestre deste ano e voltou a ficar com o EBIT ajustado no positivo.

As operações de hoje ocorrem à espera da decisão monetária do Fed. A expectativa do mercado é que o banco central americano anuncie nesta tarde o início do tapering, processo de redução gradual da compra de ativos. Por se tratar da maior economia do mundo, a política monetária do Fed tem reflexos na Europa. Amanhã, é a vez da decisão do BoE. O mercado espera que ocorra a elevação da taxa básica de juros, porém não há consenso entre analistas.

Presidente do BCE, Christine Lagarde, avalia que a perspectiva de inflação no médio prazo segue "contida" na zona do euro, apesar da pressão inflacionária existente neste momento. Para ela, a elevação da taxa básica de juros pelo BCE não deve ocorrer no próximo ano. Hoje, a Eusrostat informou que a taxa de desemprego na zona do euro caiu de 7,5% em agosto para 7,4% em setembro, com desempenho melhor do que o esperado por analistas.

Em Paris, o CAC 40 subiu 0,34%, a 6.950,65 pontos. Em Milão, o FTSE MIB avançou 0,69%, a 27.377,87 pontos. Já em Madri, o IBEX 35 caiu 0,82%, a 9.030,80, e em Lisboa, o PSI 20 recuou 1,62%, a 5.692,45 pontos.