Início » Bolsas da Europa sobem em dia de recuperação, mas com China ainda em foco
Estadão

Bolsas da Europa sobem em dia de recuperação, mas com China ainda em foco

Os mercados acionários da Europa tiveram uma terça-feira, 21, de recuperação, após as quedas da sessão anterior. Declarações do Banco Central Europeu (BCE) foram monitoradas e, apesar do ambiente de apetite por risco, continuava a haver foco nos desdobramentos da crise com a incorporadora chinesa Evergrande, bem como expectativa pela decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) nesta quarta-feira, 22.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 1,00%, em 458,68 pontos.

As praças europeias tiveram espaço para retomar fôlego, após na segunda-feira terem sido influenciadas pelo menor apetite por risco em geral nos mercados, diante dos problemas na Evergrande e de seus potenciais impactos.

O Deutsche Bank diz em relatório que a incorporadora pode não conseguir entregar imóveis contratados, minando a confiança dos compradores ou retardando decisões de compra. Para o banco alemão, parte do efeito sobre o mercado imobiliário chinês já foi absorvida pelo mercado, mas ainda é preciso ver se podem se materializar mais riscos para o setor e seus ganhos no curto prazo.

Voltando às praças da Europa, algumas ações de companhias aéreas chegaram a subir, com a notícia de que os EUA pretendem liberar as fronteiras para pessoas completamente vacinadas a partir de novembro. Deutsche Lufthansa avançou na parte da manhã, após ter dito que aumentaram as reservas de passagens para cruzar o Atlântico com a notícia, mas chegou ao fim do dia em baixa de 3,31% em Frankfurt. Já Air France-KLM sustentou ganhos e fechou em alta de 1,41% em Paris, enquanto EasyJet avançou 0,18% em Londres.

Na praça londrina, o índice FTSE 100 fechou em alta de 1,12%, em 6.980,98 pontos. A petroleira BP subiu 1,68%, mas entre as mineradoras Antofagasta caiu 1,88% e o papel da Glencore recuou 0,89%.

Na zona do euro, declarações do BCE estiveram em foco. O vice da instituição, Luis de Guindos, alertou para o risco de a inflação elevada perdurar, enquanto um dirigente, Yannis Stournaras, argumentou que pode ser necessário aumentar o programa de compras de bônus, com as previsões de que a inflação voltará a perder fôlego e a ficar abaixo da meta de 2%.

Em Frankfurt, o índice DAX subiu 1,43%, a 15.348,53 pontos. Steinhoff se destacou entre os papéis mais negociados, em alta de 6,97%.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 avançou 1,50%, para 6.552,73 pontos. TotalEnergies teve alta de 2,45%.

Em Milão, o índice FTSE MIB avançou 1,22%, a 25.353,36 pontos. Entre os papéis mais negociados na praça italiana, Tiscali teve ganho de 1,97%, mas Telecom Italia cedeu 1,46%.

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX 35 subiu 1,16%, para 8.756,00 pontos, com Santander em alta de 0,19%.

Em Lisboa, o PSI 20 avançou 1,11%, a 5.271,16 pontos.