Estadão

Bolsas de NY fecham em alta, com Nasdaq em destaque

Os mercados acionários de Nova York registraram ganhos, nesta quarta-feira, 9. Declarações de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), balanços e indicadores estiveram no radar, com o Nasdaq se destacando no dia e ganhando mais de 2%.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,86%, em 35.768,06 pontos, o S&P 500 subiu 1,45%, a 4.587,18 pontos, e o Nasdaq avançou 2,08%, a 14.490,37 pontos.

O Nasdaq exibiu mais fôlego, com ações de serviços de comunicação e tecnologia entre os destaques no dia. Meta avançou 5,37%, Apple subiu 0,83% e Microsoft, 2,18%. Alphabet ganhou 1,57% e Twitter subiu 5,14%, mas Amazon, na contramão da maioria, ajustou ganhos recentes e recuou 0,14%.

Na agenda de indicadores, os estoques no atacado dos EUA avançaram 2,2% em dezembro ante novembro, ante expectativa de alta de 2,1% dos analistas. Além disso, dirigentes do Fed se pronunciaram. Raphael Bostic (Atlanta) disse que pode haver "três, talvez quatro" altas de juro no país neste ano. Já a presidente da distrital de Cleveland, Loretta Mester, disse que ainda vê riscos de alta nos preços, além de reiterar apoio a uma elevação de juro em março, dizendo que o aperto monetário pode ser acelerado.

Entre ações em foco, Chipotle subiu 10,20%, após publicar balanço que agradou. Também depois de resultados, Lyft avançou 6,80%.

A Capital Economics diz em relatório a clientes que não espera um salto no S&P 500, após a fraqueza mostrada em janeiro, mas projeta que o índice chegará ao fim deste ano acima do nível atual. A expectativa da consultoria é que os juros dos Treasuries avancem, com o aperto monetário do Fed, mas não tanto a ponto de prejudicar a trajetória do mercado acionário.