Cidades

Com ausência de ponte, famílias no Lavras encontram dificuldades para se locomoverem

Moradores só conseguem chegar às casas por meio de pinguelas improvisadas

O acesso para a rua da Cerâmica, no Lavras, está comprometido e os moradores se viram com algumas pinguelas improvisadas sobre o córrego, que servem de pontes para 17 famílias passarem de um lado para o outro do bairro. A passagem é utilizada somente por pedestres, pois não há caminho para o tráfego de automóveis.

"A pinguela que construímos é provisória para ser utilizada apenas a pé. A única ponte que era possível trafegar com carro caiu há quase 15 anos. Se alguém precisar de socorro vai ter que ser levado no colo com o auxílio de outras pessoas", diz o eletricista Robson Francisco Matias, 25 anos.

Matias ainda comenta que precisa deixar o próprio carro longe da residência onde mora com a mãe e caminhar vinte minutos. "Não tenho como passar com o veículo até em casa, teria que trafegar por um caminho longo, precário e cheio de lama. Por isso, ele permanece estacionado próximo da moradia da minha irmã."

O cadeirante Augusto Rodrigues Batista, 43, sente ainda mais dificuldades de se locomover na condição em que se encontra, sem o movimento das pernas. "Quando tenho que sair de casa, peço ajuda para os vizinhos, porque é impossível atravessar o córrego e andar com a cadeira de rodas por cerca de 250 metros até chegar a uma avenida asfaltada".

Batista esclarece que por causa do difícil acesso à rua da Cerâmica, não consegue dar prosseguimento aos tratamentos de fisioterapia. "Antes contava com o transporte da ambulância, que vinha me buscar para as sessões de fisioterapia, mas se chovesse muito ficava ilhado e sem possibilidade de ir para a terapia". Além do difícil acesso, Batista também lamenta do córrego não ser limpo com frequência, que provoca enchente quando chove.

O vereador Novinho Brasil (PTN) afirma a Secretaria Municipal de Obras tem que fazer um acesso imediato para as famílias do local. "Até o momento não se viabiliza uma saída para os moradores que merecem um acesso digno. As famílias devem ser priorizadas para serem retiradas da região, por intermédio do Programa Minha Casa Minha Vida. Eu mesmo entrarei em contato com o secretário de Obras para cobrar uma solução para a comunidade do Lavras".

Com relação à ponte que era utilizada por moradores da rua da Cerâmica, no Lavras, a prefeitura informa que já programou vistoria no local para os próximos dias, para que sejam tomadas as devidas providências.