Estadão

EUA confirmam duas explosões em Cabul e vítimas americanas

O Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, confirmou nesta quinta-feira, 26, uma segunda explosão próxima ao aeroporto de Cabul, capital do Afeganistão, na região do Hotel Baron. Por meio do Twitter, John Kirby, membro da equipe de imprensa da Secretaria de Segurança dos EUA, confirmou que a explosão anterior, próxima a aeroporto da cidade, foi o resultado de um "ataque complexo" que ocasionou um número de vítimas civis e americanas. As informações ainda não são precisas e Kirby garantiu que continuará dando atualizações sobre o ocorrido.

Informações preliminares apontam que pelo menos 13 pessoas morreram na primeira explosão, que atingiu uma multidão de pessoas que tentavam entrar no aeroporto de Cabul, onde os militares dos EUA estão tentando retirar milhares de americanos e afegãos. Ao menos três soldados americanos ficaram feridos, disse inicialmente uma autoridade dos EUA.

As oportunidades de transporte aéreo começaram a desaparecer em meio a avisos de um ataque terrorista iminente, e conforme os EUA começaram a encerrar as operações em Cabul antes do prazo de retirada de 31 de agosto. Afegãos desesperados e cidadãos estrangeiros ainda tentaram chegar ao aeroporto internacional de Cabul, mas na manhã desta quinta-feira encontraram as estradas bloqueadas por postos de controle do Taleban.

Segundo um cidadão afegão, esta primeira explosão ocorreu no meio à multidão. Ele afirma ter visto muitas pessoas mutiladas e ensanguentadas sendo trazidas e ter sido informado de muitas mortes. Os governos ocidentais alertaram repetidamente sobre um ataque iminente do Estado Islâmico e alertaram seus cidadãos, com urgência, a não se aproximarem do aeroporto. A explosão aconteceu depois que vários aliados americanos disseram que estavam interrompendo voos de evacuação do Afeganistão, deixando para trás seus cidadãos e milhares de afegãos que haviam sido liberados para entrada. (Com agências internacionais).