Estadão

FMI alerta para aumento na inflação causado pela Guerra na Ucrânia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) destacou neste sábado, 5, que além das perdas humanas causadas pelo conflito no Leste Europeu, que a alta dos preços de matérias-primas estão entre os principais efeitos negativos da guerra na Ucrânia, o que tem causado uma pressão inflacionária adicional em diversos países.

"Os choques de preços terão impacto em todo o mundo, especialmente nas famílias pobres para as quais alimentos e combustíveis representam uma proporção maior das despesas", afirma o FMI em comunicado. "Se o conflito aumentar, os danos econômicos seriam ainda mais devastadores."

Ainda segundo o FMI, os bancos centrais dos países precisam ficar atentos às pressões de preços que vem se agravando. O órgão pede que as autoridades monetárias "monitorem cuidadosamente" o repasse do aumento dos preços internacionais para a inflação doméstica para "calibrar as respostas apropriadas". "A política fiscal precisará apoiar as famílias mais vulneráveis, para ajudar a compensar o aumento do custo de vida", sugere o fundo.

A avaliação foi divulgada neste sábado após reunião do Conselho Executivo do órgão, para discutir sobre os impactos econômicos causados pela Guerra na Ucrânia. O encontro foi presidido pela diretora-gerente da entidade, Kristalina Georgieva.

No encontro, os representantes do fundo monetário também debateram as questões envolvendo as sanções impostas ao sistema bancário da Rússia, que foi excluído do sistema de pagamentos global, o Swift, após iniciar os ataques ao país vizinho.

"Embora seja muito cedo para prever o impacto total dessas sanções, já vimos uma queda acentuada nos preços dos ativos, bem como na taxa de câmbio do rublo", diz o órgão. Além das medidas impostas ao governo Putin, o FMI ressaltou que os países que mantiverem "laços econômicos muito próximos" com Ucrânia e Rússia correm o risco de enfrentar problemas de interrupção no fornecimento de matérias primas.

De acordo com a entidade monetária, a Ucrânia já solicitou um financiamento emergencial de US$ 1,4 bilhão através do Instrumento de Financiamento Rápido do FMI. Conforme divulgado, o Conselho Executivo do órgão deve levar a solicitação ucraniana para discussão ainda na próxima semana.

No comunicado divulgado à imprensa, o FMI informou que seu corpo técnico continuará monitorando os efeitos colaterais da guerra ao redor do globo, e principalmente nos países apoiados diretamente pela entidade monetária e aqueles com vulnerabilidades ou exposições elevadas à crise.

"O Fundo aconselhará nossos países membros sobre como calibrar suas políticas macroeconômicas para gerenciar a variedade de repercussões, inclusive por meio de interrupções no comércio, preços de alimentos e outras commodities e mercados financeiros."