Início » Grupo apresenta espetáculo Ópera do Povo em rua do Macedo
Roteiros

Grupo apresenta espetáculo Ópera do Povo em rua do Macedo

O projeto é fruto de uma pesquisa feita em Caruaru, cidade pernambucana e integra o Clássico e o Popular. É um espetáculo grandioso, onde a rua é o grande palco.

Conta a estória que a Imaculada Açucena agoniza à beira da morte, esperando seu Príncipe

resgatá-la. Ele havia saído para buscar a chuva, porém não conseguiu voltar. Nisso, os retirantes saem em procissão, rezando e invocando todas as crenças na busca de uma solução. Chamam o cego adivinho, os vaqueiros, o padre e a freira e fazem um apelo com muita fé à Nossa Senhora dos
Sertanejos… É quando a Santa aparece trazendo Lampião e Maria Bonita pra pôr um fim no problema. São convocados todos os cangaceiros que saem para encontrar e resgatar o príncipe
desaparecido, que quando retorna junto com a chuva, dança balé, beija Açucena e a ressuscita.
É chegada a hora do casamento! Todos vão festejar trazendo os passos do sertão marcados na quadrilha. O bando de Lampião toma conta do local, dançando e homenageando vários outros estados nordestinos com suas danças folclóricas:

XAXADO = Xaxado é uma dança popular Brasileira originada nas regiões do Agreste e do Sertão do estado Pernambuco, muito praticada no passado pelos cangaceiros da região, em celebração às suas vitórias. O xaxado foi difundido como uma dança de guerra e entretenimento pelos cangaceiros, notoriamente do bando de Lampião, no inicio dos anos 1920, em Vila Bela, atual Serra Talhada. Na época, tornou-se popular em todos os bandos de cangaceiros espalhados pelos sertões nordestinos.

DANÇA TAMBOR DE CRIOULA = OU PUNGA: Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro desde 2007, é uma dança de origem africana praticada por descendentes de escravos africanos no estado brasileiro do Maranhão, em louvor a São Benedito, um dos santos mais populares entre os negros. É uma dança alegre, marcada por muito movimento dos brincantes e muita descontração.

FREVO = O frevo é um ritmo musical e uma dança brasileira com origem no estado de Pernambuco1 2 3 , misturando marcha, maxixe e elementos da capoeira. Foi declarado Patrimônio Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

SAMBA DE RODA = Samba de roda é uma variante musical mais tradicional do samba, originário do estado brasileiro da Bahia, provavelmente no século XIX. O estilo musical tradicional afro-brasileiro é associado a uma dança, que por sua vez está associada à capoeira. É tocado por um conjunto de pandeiro, atabaque, berimbau, viola e chocalho, acompanhado principalmente por canto e palmas.

COCO : O coco é um ritmo originalmente criado no estado de Alagoas. O nome refere-se também à dança ao som deste ritmo. Coco significa cabeça, de onde vêm as músicas, de letras simples. Com influência africana e indígena, é uma dança de roda acompanhada de cantoria e executada em pares, fileiras ou círculos durante festas populares do litoral e do sertão nordestino. Recebe várias nomenclaturas diferentes, como coco-de-roda, coco-de-embolada, coco-de-praia, coco-do-sertão, coco-de-umbigada, e ainda outros o nominam com o instrumento mais característico da região em que é desenvolvido, como coco-de-ganzá e coco de zambê. Cada grupo recria a dança e a transforma ao gosto da população local.

 


CIRANDA : é um tipo de dança e música de Pernambuco. É originada na região Nordeste mais precisamente em Itamaracá, pelas mulheres de pescadores que cantavam e dançavam esperando eles chegarem do mar. Caracteriza-se pela formação de uma grande roda, geralmente nas praias ou praças, onde os integrantes dançam ao som de ritmo lento e repetido.

No momento da CIRANDA, são trazidos o Rei e a Rainha do Milho, uma tradição da culinária do milho. O espetáculo encerra-se com Açucena e o Príncipe dançando Balé Contemporâneo, com a canção Imaculada de autoria de Aldir Blanc Mendes, compositor e escritor brasileiro e interpretada por Elba Ramalho .

FIGURINOS: Roupas foram produzidas de acordo com o figurino de Caruaru. Vestidos das mulheres pesando de 10 a 15 kilos com 3 saias em babados utilizando 7 metros de tecidos cada uma, em cetim e organza cristal e peixeiras como acessório: é uma espécie de faca desenvolvida inicialmente para cortar peixes, com utilização nas mais diversas áreas gastronômicas. Trata-se de uma ferramenta muito comprida e afiada, usada habitualmente como uma arma branca.

Vestido da Rainha baseado no figurino da Rainha Catarina. Os homens utilizam Cartucheiras e Rifles do Cangaço que foram trazidos de Caruaru, especialmente para o espetáculo.

Participam do Espetáculo 40 dançarinos e atores, sendo 20 mulheres e 20 homens
e uma equipe de 5 pessoas entre produtores e diretor.


Ópera do Povo – A Morte de Açucena, faz um resgate da cultura dos Vaqueiros com as crenças populares e é inédito em São Paulo, Guarulhos e região.


Apresentação de estréia:
Sábado, 29 de junho às 21h na Rua abílio Ramos, nº 135
Macedo – Guarulhos

A apresentação se dá em plena rua, ao ar livre

 

Comentar

Clique aqui para comentar