Início » Maioria das Bolsas da Europa fecha em queda, com indicadores e balanços em foco
Estadão

Maioria das Bolsas da Europa fecha em queda, com indicadores e balanços em foco

Os mercados acionários da Europa não tiveram direção única, mas caíram majoritariamente nesta sexta-feira. O dia foi marcado pela divulgação de alguns dados, entre eles a confirmação de recessão técnica na zona do euro, e também de resultados corporativos.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,31%, em 437,39 pontos. Na comparação semanal, caiu 0,38%.

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro encolheu 0,6% no primeiro trimestre, na preliminar do dado, entrando em sua recessão técnica em um ano e meio, diante dos impactos da pandemia. A leitura preliminar veio melhor do que a contração de 0,8% projetada por analistas ouvidos pelo Wall Street Journal. Na comparação anual, houve contração de 1,8%. Já o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da região subiu 1,6% em abril, na comparação anual, um pouco acima da previsão de 1,5%.

O ING aponta em relatório que os números de crescimento mostram que "as cicatrizes da pandemia são profundas". O Rabobank, por sua vez, destaca a perspectiva de aumento na proporção de imunizados contra a covid-19 na região e diz esperar crescimento "razoável" no trimestre atual, com ganho maior de fôlego no segundo semestre. Apesar disso, o Rabobank calcula que a zona do euro retornará ao nível do pré-pandemia apenas em meados de 2022.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 destoou da maioria e fechou em alta de 0,12%, em 6.969,81 pontos, com avanço de 0,45% na semana. Após balanço, Barclays recuou 7,01%. Já a petroleira BP subiu 0,33%, e o papel da AstraZeneca teve ganho de 4,28%, depois de balanço que superou as expectativas. British American Tobacco avançou 2,13%.

Em Frankfurt, o índice DAX caiu 0,12%, a 15.135,91 pontos, terminando na mínima do dia e com baixa de 0,94% na comparação semanal. Na Alemanha, o PIB recuou 1,7% no primeiro trimestre do ano ante o anterior. O Wells Fargo destacou em relatório a fraqueza da zona do euro, sobretudo da Alemanha, e considerou que isso fará o Banco Central Europeu (BCE) manter política acomodatícia "por um período estendido".

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 recuou 0,53%, a 6.269,48 pontos, com alta de 0,18% na semana. BNP Paribas teve baixa de 0,82%, após publicar balanço. Na França, o PIB cresceu 1,5% no primeiro trimestre, na comparação anual, acima da previsão.

O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, fechou em baixa de 0,56%, em 24.141,16 pontos, e perdeu 1,00% na semana. O PIB da Itália recuou 0,4% no primeiro trimestre ante o anterior, confirmando recessão técnica no país.

Em Madri, o índice IBEX 35 caiu 0,09%, para 8.815,00 pontos, com alta de 2,28% na semana.

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI 20 teve baixa de 0,64%, a 5.050,69 pontos, encerrando na mínima diária, mas subindo 1,01% na comparação semanal.