Estadão

Mercedes retira recurso contra resultado de Abu Dabi, mas pede clareza da FIA

Após alguns dias em silêncio completo e sem dar as caras até nas redes sociais, a Mercedes reapareceu nesta quinta-feira em um longo comunicado oficial. Nele, a escuderia alemã lamentou de forma veemente os incidentes ocorridos nas voltas finais do GP de Abu Dabi, no último domingo, mas decidiu retirar o recurso contra o resultado da corrida, que fechou a temporada 2021 da Fórmula 1. Isso horas antes da Cerimônia de Premiação da Federação Internacional de Automobilismo (FIA, na sigla em francês), em Paris.

A Mercedes disse que aceita o movimento da FIA em investigar os eventos do último fim de semana, nos Emirados Árabes Unidos, e por isso sente que a ação não seria mais necessária. A escuderia criticava o modo como o diretor de provas Michael Masi havia selecionado apenas os retardatários entre o inglês Lewis Hamilton e o holandês Max Verstappen, da Red Bull, para descontarem a volta, além de acelerar o processo de relargada.

"Saímos de Abu Dabi em descrença com o que havíamos visto. Claro, é parte do jogo perder uma corrida, mas é diferente quando você perde a fé no esporte. Junto com Lewis, deliberamos cuidadosamente sobre como responder aos eventos. Sempre fomos guiados pelo nosso amor pelo esporte e acreditamos que todas as competições devem ser vencidas por mérito. A corrida do domingo deixou muitos, incluindo nós, sentindo que a forma como as coisas aconteceram não foram justas", afirmou a Mercedes no comunicado oficial.

A Mercedes alegava que, se Masi tivesse seguido o regulamento à risca, o GP teria acabado com o safety car na pista e Hamilton seria o campeão. A escuderia alemã protestou duas vezes o resultado, mas ambos foram rejeitados pelos comissários, que afirmaram que não houve uma quebra das regras. Eles reconheceram que outro conjunto de normas dava a Masi a autoridade para conduzir o processo de relargada como quisesse.

Após protocolar a intenção de recurso, a Mercedes tinha até a noite desta quinta-feira para decidir se levaria o caso aos tribunais. Mas com a FIA anunciando na quarta que faria uma investigação sobre os eventos, a Mercedes sentiu que seria melhor focar na melhora do regulamento do que lutar por uma mudança no resultado da corrida do último domingo.

No comunicado oficial, a Mercedes deixou claro que foi duro compreender as circunstâncias do que aconteceu no domingo. E seguiu explicando que cobrará a FIA por essa investigação e pelas melhoras no regulamento e procedimentos no futuro.

"A Mercedes trabalhará ativamente com essa comissão para construir uma Fórmula 1 melhor, para cada equipe e cada fã que ama esse esporte tanto quanto nós. Vamos cobrar a FIA ao longo desse processo e, portanto, retiramos nosso recurso", prosseguiu, sem deixar de parabenizar Verstappen e a Red Bull pela conquista do título. "Para Max Verstappen e a Red Bull: queremos expressar nosso sincero respeito por suas conquistas nesta temporada. Vocês tornaram essa luta pelo título da Fórmula 1 realmente épica. Max, nós te parabenizamos e parabenizamos toda sua equipe. Mal podemos esperar pela disputa na pista ano que vem".

A nota oficial termina com um agradecimento ao trabalho de toda a estrutura da Mercedes na temporada, que culminou com a conquista do oitavo título seguido do Mundial de Construtores. "E, por último, mesmo que o Campeonato de Pilotos não tenha terminado como gostaríamos, não poderíamos estar mais orgulhosos de nossa equipe", informou.

"Lewis, você é o maior piloto da história da Fórmula 1 pilotou com seu coração cada volta desta temporada incrível. Você é um atleta impecável dentro e fora das pistas, e entregou uma performance impecável. Como um competidor puro e um modelo para milhões ao redor do mundo, nós te celebramos. Valtteri, você tem sido uma parte tão importante desta equipe, ajudando na conquista de cinco títulos consecutivos do Mundial de Construtores. Muito obrigado pela sua contribuição incrível à história do esporte. Kiitos, Valtteri", finalizou.