Estadão

Moradores do Rio pedem que Bolsonaro deixe o governo em panelaço de sete minutos

No Rio de Janeiro, moradores voltaram a se manifestar em panelaços e com gritos de fora Bolsonaro , no início da noite desta terça-feira. Esse foi mais um entre muitos protestos ocorridos ao longo do dia, marcado por atos pró e contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. Foram sete minutos de panelaço, às sete da noite.

O protesto fez referência ao 7 de Setembro, feriado do dia da Independência do Brasil, e ao preço da gasolina, que já custa R$ 7 em alguns postos revendedores. As manifestações aconteceram, ao menos, em bairros das zonas sul, como Copacabana, Laranjeiras, Cosme Velho e Botafogo; norte, como Grajaú; oeste, como Barra da Tijuca.

Pela manhã e início da tarde, o Rio de Janeiro foi palco de dois atos. Os apoiadores do presidente tomaram a Avenida Atlântica, na praia de Copacabana. Ao mesmo tempo em que seus opositores participavam de passeata no centro da cidade.

Panelaços e buzinaços aconteceram também enquanto Bolsonaro discursava em Brasília e São Paulo, em dois eventos organizados por seus apoiadores. Em ambos, o presidente incitou a população contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), voltou a defender o voto impresso e afirmou que não deixará o governo caso não seja reeleito em 2022.