Estadão

Risco de inflação nos EUA subiu e política do Fed está preparada, diz Powell

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, afirmou em audiência na Câmara dos Representantes que o risco de inflação nos EUA subiu e que a política monetária da instituição "está preparada para lidar com ela". De acordo com ele, o nível alto dos índices de preços ao consumidor está mais persistente do que o esperado, devido sobretudo ao aumento da demanda da população norte-americana e problemas de oferta de produtos e serviços causados pela pandemia.

Powell deixou bem claro que o banco central norte-americano vai agir para combater o aumento expressivo dos índices de preços ao consumidor nos EUA. "Estamos preparados para usar nossos instrumentos (de política monetária) para que a alta da inflação não fique enraizada."

<b>Tapering</b>

O presidente do Federal Reserve disse ainda que o Fed está "telegrafando de forma apropriada" o tapering e que isso não deve trazer "rupturas a mercados", referindo-se ao processo de redução do programa de afrouxamento quantitativo adotado pelo banco central americano em março de 2020. "É apropriado considerar na próxima reunião o Fed acelerar o tapering."

<b>Pacote social</b>

Ao ser questionado de forma persistente por um parlamentar se, nas avaliações do Federal Reserve de que a inflação baixará no segundo semestre de 2022, está considerada a aprovação pelo Congresso do plano do Poder Executivo dos EUA de investimentos de US$ 1,75 trilhão em educação, saúde e combate a mudanças climáticas, Jerome Powell, afirmou: "Assumimos que "algo" será aprovado, mas é difícil dizer quanto, pois esta questão não está definida."

<b>Mudanças climáticas</b>

O presidente do Federal Reserve ainda apontou que o banco central norte-americano não deverá implementar política monetária verde para combater mudanças climáticas no próximo ano. "Não vamos adotar agora. Talvez no longo prazo." Ele fez o comentário ao responder pergunta da deputada federal democrata, Rashida Tlaib, que o questionou se o Fed em 2022 seguiria os passos do Banco Central Europeu sobre o tema.

O BCE deverá em 2022 colocar em prática um amplo arcabouço de medidas com o foco para efeitos de aquecimento global, entre elas incorporar em seus modelos econométricos pressões de alta da inflação causadas pelo aquecimento global.

"O Fed supervisiona instituições financeiras também sobre riscos com mudança climática", comentou Jerome Powell. "Estamos em pleno diálogo com bancos para aprender, assim como nós também estamos aprendendo, como riscos ambientais afetam seus modelos de negócios."