Estadão

Sem NY, Ibovespa cai em dia de correção por temor fiscal local, mesmo com China

Apesar de indicadores da China, sobretudo o PIB do quarto trimestre e de 2021, e após o anúncio de medidas de estímulo do país, como corte de juros, o Ibovespa iniciou pregão desta segunda-feira (17) em queda. A ausência de Nova York, em razão de feriado nos Estados Unidos em celebração ao dia de Martin Luther King, que deve reduzir a liquidez na B3, e incertezas locais abrem espaço para uma correção. Na sexta-feira, o índice Bovespa subiu 1,33%, fechando aos 106.927,79 pontos.

Entre fatores locais está a mobilização por reajuste de funcionários da Eletrobras, que começa hoje, enquanto outros servidores prometem parar amanhã, avaliando a possibilidade de greve geral. O temor é de que o governo ceda aos protestos, elevando salários de forma a comprometer ainda mais o Orçamento e as contas públicas do Brasil. O Sindicato Nacional de Funcionários do Banco Central (Sinal), que representa analistas e técnicos da autarquia, por exemplo, prevê a participação de mais de 50% dos servidores do órgão na paralisação em protesto por reajuste salarial amanhã.

"É bastante importante acompanhar essa movimentação dos servidores para ver se o governo irá ceder, o que pode complicar ainda mais o orçamento e o fiscal", afirma Rodrigo Friedrich, head de renda variável da Renova Invest.

Para completar, no Brasil, a atividade ainda continua fraca. O Índice de Atividade (IBC-Br) do Banco Central subiu 0,69% em novembro, na série já livre de influências sazonais. Em outubro, o recuo havia sido de 0,28% (dado revisado hoje). Ao mesmo tempo, a inflação vem ganhando força, como mostra o IGP-10 de janeiro.

"O mercado ficará mais atento a perspectivas, a essas paralisações de servidores federais prevista para amanhã, do que a essa fotografia que passou com os dados econômicos", afirma a economista-chefe da Veedha, Camila Abdelmalack, acrescentando que o IBC-Br sugere variação zero para o PIB fechado em 2022.

Na China, chama a atenção o crescimento menor do que o esperado nas vendas do varejo em dezembro e ante o mês anterior, enquanto o PIB e a produção industrial surpreenderam positivamente. Além disso, a queda do minério de ferro no porto chinês de Qingdao, de 1,84%, a US$ 125,65 a tonelada, limita alta do Ibovespa.

Mesmo com a maioria dos dados da China com resultados favoráveis à expansão, o banco central do país anunciou corte de juros, diante dos riscos associados à pandemia de coronavírus, a fim de impulsionar a economia, ressalta o economista Carlos Lopes, do BV, em comentário a clientes e à imprensa. "É o que ajuda a sustentar esse humor levemente positivos nos mercados esta manhã", diz.

Contudo, Lopes pondera que alguma volatilidade não pode ser descartada, dado que os mercados seguem acompanhando a perspectiva de aperto monetário nos EUA e o avanço da variante Ômicron de covid-19 no mundo.

Friedrich, da Renova Invest, cita que o recuo das ações ligadas ao setor de commodities metálicas no Ibovespa ainda reflete outras questões, como a proximidade das Olimpíadas de Inverno na China, que tem feito com que o país adote medidas para melhorar a qualidade do ar. Uma das ações é a redução e/ou paralisação na produção de aço, que acaba prejudicando os preços do minério de ferro. "E isso é ruim para ações de mineradoras e de siderúrgicas na Bolsa", afirma.

Apesar do leve recuo do petróleo no exterior, as ações da Petrobras testam alta após a informação de que a estatal e a Novonor deram o pontapé inicial na venda de suas participações na Braskem. Nessa primeira oferta pública, para a qual as empresas protocolaram na sexta-feira pedido de registro aos órgãos reguladores do mercado de capitais do Brasil (CVM) e dos Estados Unidos (SEC), serão vendidas até 154,9 milhões de ações preferenciais da série A.

Às 10h44 desta segunda-feira, o Ibovespa cedia 0,39%, aos 106.515,54 pontos, na contramão da alta da bolsas europeias.

Tags