Estadão

Sem show e com tempo chuvoso no Rio, Comlurb recolheu 50% menos lixo no réveillon

Com tempo chuvoso e sem shows durante a queima de fogos em Copacabana, na zona sul do Rio, a Comlurb, empresa de limpeza urbana da Prefeitura, recolheu 320 toneladas de lixo nos pontos de réveillon pela cidade, menos da metade do coletado no réveillon anterior (762 toneladas). Especificamente em Copacabana, a empresa recolheu 167 toneladas de lixo.

A operação de limpeza foi concluída nesta manhã com a lavagem das pistas da Avenida Atlântica. De acordo com a Prefeitura, 4.372 garis participaram da operação, distribuídos nos dez pontos de queima de fogos. "Utilizamos a estratégia de colocação de grande quantidade de caixas metálicas de 1200l, que foram importantes para que os frequentadores fizessem o descarte correto dos resíduos", disse o presidente da Comlurb, Flávio Lopes.

A companhia ressaltou que destacou 120 garis para atuar exclusivamente na coleta seletiva em Copacabana, com quatro tendas para recebimento de materiais potencialmente recicláveis. Essa coleta gerou 2,3 toneladas de lixo reciclável.

Outros 12 garis trabalharam exclusivamente nos postos médicos instalados pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio na orla de Copacabana.

O réveillon do Rio reuniu milhares de pessoas na orla de Copacabana, mas com um público menor às registradas em anos anteriores, tanto por conta da chuva que atingiu o bairro como pela ausência de atrações musicais, cancelados por conta da pandemia de covid-19.