Política

Ato de servidores tem baixa adesão; comissão será recebida pelo governo

O ato convocado para a manhã desta quarta-feira, 22/05, pelo sindicato dos servidores municipais (Stap) tem baixa adesão. A mobilização acontece na Avenida Bom Clima, em frente à Prefeitura, e reivindica maiores reajustes salariais e benefícios. Uma comissão de servidores será recebida por secretários.
 
A Prefeitura mantém a proposta de reajuste e, sem reconhecer o ato como um movimento grevista, afirmou que vai cortar o ponto dos servidores que faltarem ao trabalho nesta quarta. Segundo a Prefeitura, as dificuldades econômicas levaram à proposta de reajuste de 2% a todo o funcionalismo público municipal, divididos em 1% em maio, 0,5% em setembro e 0,5% em novembro, além de reajuste de 4,45% na cesta básica e no vale refeição/alimentação.
 
Por outro lado, o Stap afirma ter rejeitado a proposta do governo, durante assembleia que contou com aproximadamente 100 servidores. A entidade pretende pressionar a Prefeitura a conceder reajuste pelo Índice do Custo de Vida do Dieese (ICV).
 
Ainda segundo a administração, com a aprovação do Regime Próprio mais da metade do funcionalismo terá um aumento nos salários acima da inflação acumulada.
 
"A luta dos servidores independe de governos. Ela é só dos servidores. Antes do Guti, o Elói Pietá também deu aumento abaixo da inflação. A história só se repete", afirmou o presidente do Stap, Pedro Zanotti.