Estadão

Aziz sobre prisão: Posso até ter me excedido, mas evidências eram fortes

O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), disse nesta quinta-feira que pode ter se excedido ao determinar ontem a prisão do ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias, mas ressalvou que havia evidências fortes de que o depoente mentiu à CPI.

"Eu posso até ter me excedido. Mas, no caso específico dele, você vai pegando depoimento das pessoas e chega um momento que você tem que tomar decisões", afirmou Aziz em entrevista coletiva a jornalistas. "Acho que as evidências em relação ao perjúrio do senhor Roberto Dias eram muito evidentes", disse o senador, lembrando que foi cobrado pela determinação de prisão de outros depoentes que passaram pela CPI.

Aziz comentou também que lhe chamou atenção o fato de o governo "sair em defesa" de Dias após tê-lo exonerado. A demissão foi efetivada após o policial Luiz Paulo Dominguetti, que tentou vender vacinas ao governo, afirmar que o ex-diretor teria lhe feito um pedido de propina durante as negociações, mas sem apresentar provas.